pagamentos online

Meios de pagamento: quais os melhores para a sua empresa

Os tipos de pagamentos online disponíveis podem gerar um impacto direto na decisão do cliente, que, dependendo da experiência, pode desistir, ficar desconfiado ou sair totalmente satisfeito. Com a popularização dos e-commerces, cresceu também a preocupação de empresas em garantir a maior conveniência e segurança possíveis. 

Por isso, tem se desenvolvido todo um mercado de meios de pagamento. Por exemplo, 29% das fintechs fundadas até 2019 são dedicadas ao setor. Movimento motivado pela Lei nº 12.865/2013, que regulamenta as instituições de pagamentos e possibilitou a criação de mais soluções para esses tipos de operações. 

No Superlógica Xperience 2019, André Baldini (CEO da Superlógica), João Del Valle (COO e cofundador do Ebanx) e Roberto Miamoto (diretor de negócios do PJBank), discutiram sobre o futuro e as opções de pagamentos para empresas e consumidores no painel “Como escolher o melhor meio de pagamento para o seu negócio”. 

Explicamos tudo o que foi falado no painel ao longo deste artigo, mas você também pode assistir ao conteúdo completo no vídeo abaixo e no nosso canal do Youtube! Aproveite e ouça também o nosso podcast “Economia da Recorrência”, disponível no Spotify, Apple Podcast e principais agregadores.

Quais os melhores tipos de pagamentos online?

Além dos tradicionais cartão de crédito e boleto, atualmente é possível também agendar débito automático em conta, realizar transferências (TED), pagar por intermediadores, comprar créditos em loja física e validar online e também pagar por cartão de débito.

Mas André Baldini, CEO da Superlógica, tem um posicionamento mais direto sobre qual o melhor meio de pagamento. “É aquele que funciona para o seu cliente. Aquele que o seu cliente paga. Se é boleto, se é cartão… você tem que ver e entender o público que está atendendo e qual o mais adequado para aquele nicho”.

Por outro lado, um meio de pagamento também pode ser uma forma de inovar. João Del Valle, COO e cofundador do Ebanx, empresa de métodos de pagamentos para compras online, afirma que “um novo meio de pagamento pode ser a melhor estratégia de marketing internacional”. 

Em cenários de processamentos em moedas diferentes, como ocorre frequentemente em compras online, “se conectar com o meio de pagamento é uma necessidade para todos os países que você está”, afirma Del Valle.

Quais as vantagens do boleto?

Apesar de todos os avanços em tecnologia para pagamentos online, o boleto segue sendo essencial para muita gente. Com ele, é possível atingir uma ampla parcela da população brasileira, composta por 45 milhões de pessoas: os desbancarizados.

Para o COO do Ebanx, pensar nesse público é essencial para quem quer expandir o mercado. “Mesmo que seja 5%, 10%, de pagamentos feitos por boletos essa é uma margem de crescimento que você tem. Existem pessoas que não podem, não querem ou até têm medo de usar o cartão e que são atendidas por boletos”, explica João Del Valle

Baldini ressalta que o modelo bancário que rege recebimentos por boletos tem se tornado mais conveniente e seguro após a regulamentação da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP) ou Base Centralizadora. Com essas mudanças, foi possível diminuir fraudes de boletos falsos e também realizar pagamento de boletos atrasados.

Mas, mesmo com esses avanços, o boleto falha em oferecer segurança sobre a previsão de receita, já que muita gente ainda gera o documento e não paga, além das taxas envolvidas na emissão. Uma solução é investir em tecnologias como régua de cobranças e facilitação da emissão de boletos pelos clientes.


Quais as vantagens do cartão de crédito?

Com o aumento de contas digitais e fintechs que oferecem serviços de cartão de crédito sem anuidade, essa forma de pagamento tem se tornado uma das principais para o consumidor e preferida por empresários. 

Diferente do boleto, a modalidade proporciona uma receita mais previsível. O pagamento é feito pela instituição financeira intermediadora e não pelo cliente diretamente.

Baldini ressalta que as bandeiras de cartão já perceberam a tendência e têm trabalhado para implantar tarifas mais atraentes. Para empresas que trabalham com pagamentos recorrentes, disponibilizar a opção de desconto de mensalidades no cartão de crédito pode ser mais vantajoso do que o débito automático. 

A própria Visa, bandeira de cartão de crédito, tem explorado essas possibilidades com o Visa Direct, sistema de transferências instantâneas. O intuito é reduzir o tempo de envio de dinheiro de uma conta a outra, bem como trocas entre instituições financeiras. 

Qual o nível de segurança dos pagamentos online?

Sobre débito automático, Baldini explica que essa modalidade é, essencialmente, uma “porta aberta para a conta do cliente”. Somente em alguns casos isso dá certo, como de concessionárias. “Eu duvido muito que o débito automático se faça mais presente nas cobranças”, afirma o CEO da Superlógica.

Já para Miamoto, diretor de negócios do PJBank, no caso de boletos “é preciso ter atenção, por mais que o sistema esteja adequado em função da CIP, (…) o boleto acaba sendo muito mais sensível em relação à fraude”

O principal problema do boleto é a baixa rastreabilidade, já que pode ser pago em dinheiro. Mesmo com a CIP centralizando as informações bancárias, ainda há o risco de se sofrer um golpe ou fraude e, muitas vezes, não é possível saber de onde o dinheiro veio ou vai.

Del Valle explica que com o boleto é possível atingir a todo o território nacional, “só que por outro lado, a gente conhece toda a preocupação que existe com a questão de compliance, a questão de fraude, de lavagem de dinheiro. Existe toda uma preocupação, tanto das instituições de pagamento, quanto das instituições financeiras em tratar as transações por boleto de uma forma mais rígida”. 

Fraudes no cartão de crédito

Um dos maiores medos dos consumidores é o de ser vítima de fraudes no cartão de crédito. Normalmente, devido a pouca segurança em sites de compras e problemas de privacidade em dispositivos móveis, por exemplo.

E para empresas que operam meios de pagamento, essa questão é especialmente delicada. Del Valle, COO do Ebanx, explica que o principal ponto de atenção é o cartão não presente, ou seja, aquele tradicional, que depende do usuário inserir os dados e não tem um acompanhamento em tempo real.

“Os novos meios de pagamento já devem vir um pouco mais seguros do que o cartão não presente, que não tem uma autenticação forte. A comunidade inteira de meios de pagamentos tem que estar junto nessa questão da fraude”, destaca Del Valle.

Miamoto reforça que é importante conhecer os hábitos e comportamentos do cliente para evitar as fraudes. Assim, é possível perceber quando há uma anomalia e tratar rapidamente do problema antes que se torne um prejuízo para o cliente e para a empresa.

Experiência do usuário no pagamento

Uma das vantagens de pagamentos online é a conveniência e rapidez, elementos que têm sido os principais diferenciais de fintechs. Baldini explica que “é importante oferecer facilidades, simplicidades pro cliente e segurança”.

E isso deve ser levado em conta na hora de definir protocolos de segurança. Para o CEO da Superlógica, na recorrência a dinâmica é completamente diferente. “Você tem que cobrar o cliente. Por isso, não pode ter um antifraude tão rígido para não acabar incorrendo em um churn involuntário”, afirma.

João Del Valle dá o exemplo do pagamento direto com a instituição bancária, que direcionava para a página do banco e requisitava muitos dados de autenticação para seguir com a quitação. Isso poderia levar a desistências da compra ou gerar uma experiência ruim com a empresa.

O COO do Ebanx explica que o ideal é que o processo seja tão conveniente que nem seja notado. “A indústria dos pagamentos tem há muito tempo aquela coisa do pagamento invisível, que é tão conveniente que o processo é quase invisível”, afirma.

O futuro está nos pagamentos instantâneos

Os pagamentos instantâneos, ou seja, transferências entre contas de forma rápida e sem intermediação complexas, são parte da revolução dos meios de pagamento. Com o PIX, do Banco Central do Brasil, os pagamentos instantâneos estão a cada dia mais perto de se tornarem realidade.

“Eu acredito muito na questão do pagamento instantâneo”, afirma Baldini. “A gente vai ter que entender como é que vai funcionar essa dinâmica com boleto e com cartão, se ele definitivamente acaba ou não”.

Para João Del Valle, os pagamentos online mais consolidados como o cartão e boleto ainda têm uma vida longa, podendo até serem integrados nos pagamentos instantâneos. Mas, para ele, o cenário deve mudar mais rápido do que imaginamos. “A conveniência dos pagamentos instantâneos parece ser uma dessas tecnologias que vai ter uma adesão muito rápida”, finaliza.

Sobre a Superlógica

A Superlógica desenvolve o software de gestão líder do mercado brasileiro para empresas de serviço recorrente. Somos referência em economia da recorrência e atuamos nos mercados de SaaS e Assinaturas, Condomínios, Imobiliárias e Educação

A Superlógica também realiza o Superlógica Xperience, maior evento sobre a economia da recorrência da América Latina, e o Superlógica Next, evento que apresenta tendências e inovações do mercado condominial.

Nova call to action

Compartilhar

Comentários

comentarios