Cobrança no cartão de crédito para empresas SaaS: Tudo que você precisa saber

Cobrança no cartão de crédito para empresas SaaS: Tudo que você precisa saber

As empresas que trabalham com a recorrência de pagamentos, em especial as que atuam no segmento SaaS (Software as a Service), sabem que essa modalidade de transação financeira é completamente diferente do modelo de compra e venda.

Para lidar com todas as particularidades da cobrança recorrente é preciso contar com um bom sistema de gestão de assinaturas. Um ERP capaz de automatizar as cobranças de maneira periódica, seja no cartão de crédito, boleto bancário ou no débito automático.

Mas, verdade seja dita, não foram apenas as empresas SaaS que encontraram na recorrência de pagamentos a fórmula ideal para a garantir o envio das cobranças do jeito certo, no momento exato.

Atualmente, ela está presente em diversos setores como serviços de streaming (como Spotify e Netflix), clubes de assinatura, provedores de internet e TV, planos de saúde, escolas, entre outros.

E não é para menos! Hoje, existe uma grande diversidade de segmentos que adotou o pagamento recorrente em seus negócios observando suas vantagens.

Para o cliente, o pagamento recorrente traz comodidade e, para as empresas, o benefício de contar com um fluxo de caixa mais previsível.

Dentro da recorrência, existem basicamente três meios de recebimento de pagamentos:

  • Boleto bancário;
  • Cartão de crédito;
  • Débito automático em conta corrente.

Quer conhecer tudo sobre os meios de pagamento no Brasil?

Clique abaixo e faça o download do E-book gratuito!

É preciso saber que os três métodos oferecem vantagens e também exigem alguns pontos de atenção, principalmente, quando o assunto é controle e redução da inadimplência.

Embora a abrangência da cobrança recorrente seja cada vez mais maior, neste post vamos falar sobre os desafios das empresas SaaS em cobrar no cartão de crédito.

A seguir você confere dicas e as melhores práticas para adotar hoje.  

Vale a pena cobrar no cartão de crédito?

A cobrança recorrente com cartão de crédito é uma das modalidades de pagamento mais aceitas entre as empresas e, também, uma mais usadas pelos clientes. Ela oferece comodidade, pois os dados do cartão são repassados apenas no início do contrato e as cobranças subsequentes são realizadas automaticamente.

Na cobrança recorrente com cartão de crédito, o limite do cartão não é comprometido, ao contrário do modelo transacional.

Esse é o meio preferido no mercado B2C (negócios realizados entre empresa e consumidor final/ pessoa física) e tem conquistado cada vez mais espaço. Principalmente entre as empresas que trabalham com tickets médios mais baixos.

E essa aceitação, cada vez maior, não é à toa.

No Brasil, o volume de transações no cartão de crédito chegou a R$ 842,6 bilhões, em 2017, uma alta de 12,4% em relação ao ano anterior, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (ABECS).

Se compararmos ao PIB do Brasil em 2017, que foi de R$ 6,6 trilhões, o valor corresponderia a aproximadamente 15% desse total.

Quais as vantagens das empresas SaaS em oferecer o cartão de crédito?

Com montantes tão volumosos, o cartão de crédito já conquistou um lugar de importância na vida do brasileiro como opção de meio de pagamento.

Entre suas vantagens podemos citar:

  • É bem aceito, principalmente, entre pessoas físicas e tickets mais baixos;
  • Menor risco de inadimplência;
  • Maior previsibilidade de receita.

Para quem trabalha com SaaS, o cartão de crédito cai como uma luva, principalmente, para as empresas que enfrentam elevadas taxas de inadimplência. Nestes casos, esse meio de pagamento funciona bem, porque a cobrança é feita de forma automatizada, ou seja, não depende da ação do cliente para a conclusão do pagamento.

O emprego do cartão de crédito também é um bom aliado para tickets mais baixos, pois evita que o cliente se esqueça de efetuar o pagamento em virtude da baixa importância financeira. Isso pode significar uma melhor previsibilidade de receita.

Dessa maneira, é essencial que uma empresa SaaS tenha à mão as melhores práticas para gerenciar suas transações via cartão de crédito.


Nova call to action

O que uma empresa SaaS deve saber sobre cobrança com cartão de crédito?  

Como em todas as modalidades de pagamento, a cobrança recorrente no cartão de crédito exige atenção especial do gestor em alguns aspectos.

Como um dos pontos desfavoráveis estão as altas taxas cobradas para a antecipação dos valores a serem recebidos, o que pode comprometer o fluxo de caixa.

Outro ponto de atenção é que o ciclo do cartão de crédito é mais longo, por isso, o dinheiro das receitas entra no caixa com mais de 30 dias.

As taxas de administração do cartão de crédito também são mais elevadas em comparação ao boleto bancário, por exemplo.

Empresas SaaS: como cobrar no cartão de crédito?

Uma das grandes preocupações das empresas que lidam com o cartão de crédito recorrente é saber administrar constantemente as falhas ocasionadas nesse tipo de operação – que podem ser de natureza temporária ou permanente.

Para isso, um gestor financeiro de um negócio SaaS deve ter uma estratégia, que envolva uma gestão automatizada com controle total sobre todos os processos para melhorar as taxas de conversão.

Vamos ver as principais delas:

Garanta taxas de conversão superiores a 90%

É importante ressaltar aqui que, de modo geral, as empresas que oferecem o cartão de crédito como meio de pagamento devem ter um sistema de gestão de cobrança recorrente que garanta uma taxa de conversão superior a 90%.

Essa margem é possível de ser alcançada por meio de retentativas inteligentes, que entram em ação nos casos de falhas temporárias nas cobranças. Essa funcionalidade é importantíssima, pois, afinal, perdas nas transações podem impactar o fluxo de caixa.

Qualquer intercorrência ocasionada no processamento dos pagamentos no cartão de crédito deve ser identificada em tempo hábil para que providências sejam tomadas.

Para negócios recorrentes como SaaS, é recomendável que a performance do processamento dos cartões alcance uma taxa igual ou superior a 95% para ser considerada excelente.

Dessa forma, é preciso acompanhar diariamente as variações desses dados para que seja possível tomar uma ação imediata nos casos de eventuais distanciamentos desse cenário ideal.

 



Desative o seu antifraude

Existe também um outro quesito ao qual uma empresa SaaS deve ficar atenta: ao sistema antifraude. Usar um anti-fraude em negócios recorrentes não é uma boa opção, pois ele pode negar transações e induzir o “churn involuntário”.

Ele acontece quando existe falha no pagamento e, consequentemente, um cancelamento de uma assinatura sem que isso tenha sido solicitado pelo cliente.

Um dos grandes problemas tanto para consumidores quanto para empresas no ambiente digital são as fraudes no cartão de crédito. Entretanto, em negócios recorrentes, a fraude apresenta um risco muito menor, pois, normalmente, estes serviços não são interessantes para o fraudador e nem representam um custo relevante para o prestador caso o dinheiro seja devolvido.

Os sistemas anti-fraude ajudam muito as empresas que operam no varejo, como os e-commerces, já que criam mecanismos para que o criminoso não coloque as mãos em um produto, que tenha sido fruto de uma compra fraudulenta.

Mas, se você tem uma empresa SaaS, um sistema antifraude pode fazer com que um cliente que tenha eventualmente o seu contrato cancelado, perceba que o serviço não era realmente essencial no seu dia a dia. E, a partir disso, ele decida não voltar a contratá-lo.

O problema principal dos sistemas antifraude é que eles operam por amostragens e barram as transações que aparentam trazer riscos para a empresa. No varejo, isto é útil pois acaba evitando o problema do chargeback por fraude.

Entretanto, em uma empresa de serviços recorrentes, como é o caso de SaaS, é preciso considerar que um relacionamento de longa data é estabelecido com o cliente. Em situações eventuais de fraude, atrasos ou ausências de pagamento, a solução da empresa é cortar o fornecimento do serviço.

Tenha um parceiro tecnológico certificado pelo PCI

Para lidar com cobranças recorrentes no cartão de crédito, você precisa contar com um parceiro tecnológico, que esteja de acordo com o padrão de segurança adotado globalmente pelo PCI (Payment Card Industry – Data Security Standard) para o uso, manuseio e armazenagem de dados.

O PCI é um fórum global, que tem como principal objetivo desenvolver e aprimorar continuamente padrões de segurança para o armazenamento e para a proteção de dados de contas. Sua atuação, entre outros quesitos, está em certificar empresas a operarem de acordo com esses critérios.

Para lidar com cartão de crédito em SaaS, você precisa se certificar de que as demandas de pagamentos irão trafegar de forma segura dentro de sua plataforma para gestão de assinaturas. Isso deve funcionar de forma integrada com um facilitador, que deverá prestar serviço certificado dentro dos padrões internacionais PCI-DSS.

É por isso, que, obrigatoriamente, você precisa de um fornecedor habilitado para combater, mitigar e eliminar qualquer situação de vulnerabilidade de dados.

Gateway: processe seus pagamentos em múltiplos adquirentes

Para as cobranças com cartão de crédito você irá precisar de um gateway, que seguindo os padrões do PCI, lide com os dados de cartão de crédito e processe retentativas em múltiplos adquirentes para aumentar as chances de conversão de cada transação.

Um gateway de pagamento é a interface que faz a integração e a comunicação entre as operadoras e adquirentes e as empresas. Eles são provedores de serviços que agrupam diversos meios de pagamento.

Porém, o principal papel do gateway é “esconder” a complexidade de integração entre os diversos adquirentes em uma única interface.

Verifique se seu sistema de gestão de assinaturas e pagamento recorrente tem um gateway próprio ou se está apto a fazer uma integração.

Checklist da cobrança recorrente no cartão de crédito em empresas SaaS:

  • Verifique se sua plataforma de pagamento recorrente ou sistema de gestão de assinaturas permite o acompanhamento diário da performance das cobranças recorrentes no cartão de crédito;
  • Evite que o churn involuntário se torne um problema sério e garanta que suas cobranças tenham as melhores taxas de conversão por meio de retentativas inteligentes de cobrança, que devem funcionar de maneira automática quando ocorrer uma falha temporária ou permanente;
  • Se você usa um sistema antifraude, fique atento. Em negócios recorrentes essa não é uma boa opção, pois ele operam por amostragens e barram as transações que aparentam trazer riscos para a empresa. Perdas com falhas temporárias e permanentes na cobrança podem impactar o fluxo de caixa;
  • Sua plataforma de gestão de assinaturas e pagamentos recorrentes deve estar integrado a gateways ou facilitadores de pagamento que trabalhem com cartão de crédito recorrente;
  • Para lidar com cobranças no cartão de crédito, você precisa contar com um parceiro tecnológico, que esteja de acordo com o padrão de segurança adotado globalmente pelo PCI.

Como lidar com as cobranças recorrentes em SaaS?

Você, como gestor de uma empresa SaaS, provavelmente, trabalha com um sistema híbrido de modalidades de pagamentos. É por isso que sua plataforma de gestão financeira deve lhe entregar a melhor performance em qualquer cenário, seja na cobrança com boleto bancário, débito automático ou no cartão de crédito.

Cada uma dessas modalidades demandam especificidades para a uma melhor gestão. É por isso que você precisa contar com um software recorrente para garantir que as transações – sejam elas mensais, trimestrais, semestrais ou anuais – aconteçam no momento certo e sem falhas.

Você também quer entender mais sobre cobrança recorrente com boleto bancário? Aqui no Blog da Superlógica você encontra um conteúdo completo sobre como lidar com todos os desafios deste meio de pagamento.

Veja também:

Cobrança recorrente com boleto: os principais desafios

Tudo sobre boleto bancário

Fim do boleto sem registro: novas regras em 2018

Tudo o que você precisa saber sobre boleto bancário no Brasil

 



Compartilhar

Comentários

comentarios