Conheça a antiga lei 4.591/64 e quais artigos ainda são válidos

Artigo publicado originalmente em 23/02/2021 e atualizado em 29/10/2021

Assim como em diversos casos, os condomínios também possuem uma legislação que deve ser cumprida por todos os moradores e demais envolvidos. A primeira lei criada especificamente para os condomínios foi a lei 4.591, em 1964.

Porém, ela foi derrogada em 2003 com a criação do Código Civil. Quando uma lei é derrogada, significa que ela não foi completamente revogada, sendo assim há artigos em sua legislação que são válidos até hoje.

O Código Civil atualmente conta com 27 artigos sobre condomínios, abordando assuntos como a criação de assembleias, eleição de síndico, obrigatoriedades dos condôminos e do condomínio, utilização das áreas comuns e áreas privativas, multas entre outros. É a principal referência da legislação para assuntos relacionados aos condomínios e pode ser completado pelos artigos ainda em vigor da Lei 4.591.



Quais são os assuntos tratados na Lei 4.591/64?

A lei 4.591/64 ainda possui alguns artigos válidos, a maioria deles são referentes à incorporação imobiliária, ou seja, a regulamentação de vendas de unidades autônomas em edificações que ainda estão na planta. Há também alguns artigos válidos sobre os condomínios. Confira:

Capítulo I – do Condomínio

Destaque para os artigos da lei 4.591 relacionados às vagas da garagem:

  • 1º O direito à guarda de veículos nas garagens ou locais destinados à isso nos condomínios será tratado como objeto de propriedade exclusiva, com ressalva das restrições que ao mesmo sejam impostas por instrumentos contratuais adequados, e será vinculada à unidade habitacional a que corresponder, no caso de não lhe ser atribuída fração ideal específica de terreno. (Incluído pela Lei nº 4.864, de 29.11.1965).
  • 3º Nos edifícios-garagem, serão atribuídas frações ideais de terreno específicas para as vagas.(Incluído pela Lei nº 4.864, de 29.11.1965)

Capítulo II

Explica de forma mais detalhada sobre a criação da convenção do condomínio, um conjunto de regras criadas com os condôminos para determinar o gerenciamento do local, segundo a lei 4591/64.

Art. 9º Os proprietários ou os pertencentes dos direitos à aquisição de unidades autônomas, em edificações a serem construídas, em construção ou já construídas, elaborarão, por escrito, a Convenção de Condomínio e deverão aprovar o Regimento Interno da edificação ou conjunto de edificações por contrato ou por deliberação em assembleia

  • 1º É necessário fazer o registro da Convenção no Registro de Imóveis, bem como a averbação das suas eventuais alterações.
  • 2º Considera-se aprovada, e obrigatória para os proprietários ou para qualquer ocupante, a Convenção que reúna as assinaturas de titulares de direitos que representem, no mínimo, 2/3 das frações ideais que compõem o condomínio.
  • 3º Além de outras normas aprovadas pelos interessados, a Convenção deverá conter:
  1. a discriminação das partes de propriedade exclusiva e das áreas comuns do condomínio, com especificações das diferentes áreas;
  2. a especificação da destinação das diferentes áreas;
  3. o modo de usar as coisas e serviços comuns;
  4. encargos, forma e proporção das contribuições dos condôminos para as despesas de custeio e para as extraordinárias;
  5. o modo de escolher o síndico e o Conselho Consultivo;
  6. as atribuições do síndico, além das legais;
  7. a definição da natureza gratuita ou remunerada de suas funções;
  8. o modo e o prazo de convocação das assembleias gerais dos condôminos;
  9. o quórum para os diversos tipos de votações;
  10. a forma de contribuição para constituição de fundo de reserva;
  11. a forma e o quórum para as alterações de convenção;
  12. a forma e o quórum para a aprovarão do Regimento Interno quando não incluídos na própria Convenção.
  • 4º No caso de conjunto de edificações, a Convenção de Condomínio fixará os direitos e as relações de propriedade entre os condôminos das várias edificações, podendo estipular formas pelas quais se possam desmembrar e alienar porções do terreno, inclusive as edificadas (Incluído pela Lei nº 4.864, de 29.11.1965).

CAPÍTULO III – Das Despesas do Condomínio

Apenas 2 artigos se mantêm válidos na lei 4.591:

  • 2º Cabe ao síndico arrecadar as contribuições competindo-lhe promover, por via executiva, a cobrança judicial das quotas atrasadas.
  • 5º A renúncia de qualquer condômino aos seus direitos, em caso algum valerá como escusa para exonerá-lo de seus encargos.

Quais artigos da Lei 4.591/64 foram para o Código Civil?

A maior parte dos artigos da Lei 4.591 foram atualizadas e transferidas para o Código Civil. Você pode conferir alguns deles em nosso artigo sobre o Código Civil para condomínios.

Um exemplo de artigo que foi revogado é com relação às multas e juros aplicados aos condôminos que não pagarem a contribuição mensal do condomínio. Na lei 4.591/64, o artigo dizia o seguinte: 

Capítulo III – Das Despesas do Condomínio 

Art. 12 / § 3º O condômino que não pagar a sua contribuição no prazo fixado na Convenção fica sujeito ao juro moratório de 1% ao mês, e multa de até 20% sobre o débito, que será atualizado, se o estipular a Convenção, com a aplicação dos índices de correção monetária levantados pelo Conselho Nacional de Economia, no caso da mora por período igual ou superior a seis meses.

Este artigo foi alterado no Código Civil e trouxe uma aplicação mais branda desta multa e seu respectivo juros, confira:

Capítulo VII – Do condomínio edilício – Artigo 1.336 – Os deveres do condômino

O condômino que não pagar a sua contribuição ficará sujeito aos juros moratórios convencionados ou, não sendo previstos, os de 1% ao mês e multa de até 2% sobre o débito.

Ou seja, uma multa que na Lei 4.951 chegava a 20% do valor do débito, passou a ser de 2% no Código Civil.

De forma geral, o Código Civil é a legislação mais usada pelos síndicos, administradoras e condôminos para sanar dúvidas sobre o dia a dia dentro dos condomínios, porém caso algum artigo não seja contemplado pelo Código Civil, é possível utilizar os artigos da lei 4.591/64 que ainda são válidos.

Confira os artigos do Código Civil que tratam de condomínios

→ Tudo que sua administradora de condomínios precisa saber sobre o Código Civil

→ 10 obrigações legais das administradoras de condomínios

Como lidar com barulho de vizinhos no condomínio

Assembleia virtual com ou sem pandemia

New call-to-action

Sobre a Superlógica

A Superlógica desenvolve o software de gestão líder do mercado brasileiro para empresas de serviço recorrente. Somos referência em economia da recorrência e atuamos nos mercados de SaaS e Assinaturas, Condomínios e Imobiliárias.

Compartilhar

Comentários

comentarios