Big data: o que é e como ele pode ajudar sua imobiliária

Por: Superlógica Tecnologias3 Minutos de leituraEm 19/04/2022Atualizado em 09/05/2022

O big data é um conjunto de tecnologias que permite às imobiliárias terem uma visão mais detalhada de seus clientes e portfólio de imóveis — não importa quão numerosos eles sejam.

Como o ser humano tem uma capacidade limitada de processamento de dados, recorrer à inteligência dos algoritmos é a solução para aproveitar um número muito maior de informações nas tomadas de decisão da empresa.

Com soluções de big data, todas as informações sobre tipo do imóvel, valores, tipo de negociação, região do imóvel, número de quartos, entre outras, são armazenadas e processadas de modo a facilitar o trabalho dos corretores, gestores e colaboradores em geral.

Siga a leitura para entender melhor como isso pode transformar a gestão e disparar os resultados da sua imobiliária!

O que é big data?

Big data é um termo que descreve a realidade tecnológica atual em relação à coleta, armazenamento e processamento de dados. Uma realidade na qual há tantos dados em circulação que os sistemas tradicionais não dão conta de processá-los.

Para isso, são utilizados recursos como softwares na nuvem, algoritmos, inteligência artificial, machine learning e outros. O termo big data é usado para se referir ao ramo da tecnologia da informação que engloba essas soluções.

No mundo da gestão de negócios, fala-se em big data quando são usadas tecnologias de processamento de dados para gerar relatórios e insights para tomada de decisão — o que tem sua utilidade nos mais diversos processos organizacionais.

Em uma imobiliária, basicamente tudo pode virar um dado para big data. Por exemplo, quantas pessoas acessaram o site, quais os imóveis mais visualizados, qual a faixa de valor mais procurada entre quem usa a busca por imóveis do site e assim por diante.

O ônus é que, quanto mais dados são gerados, maior é o esforço para extrair informações relevantes desse montante bruto. As soluções de big data surgiram justamente para lidar com o crescimento exponencial de dados gerados.

Inicialmente, atribuía-se ao big data três conceitos, chamados de 3 Vs, mas a literatura evoluiu o entendimento e fala hoje em 5 Vs:

  • Volume: relacionado à grande quantidade de dados gerados;
  • Variedade: as fontes de dados são muito variadas, o que aumenta a complexidade das análises;
  • Velocidade: devido ao grande volume e variedade de dados, todo o processamento deve ser ágil para gerar as informações necessárias;
  • Veracidade: a veracidade está ligada diretamente ao quanto uma informação é verdadeira;
  • Valor: este conceito está relacionado com o valor obtido desses dados, ou seja, com a “informação útil”.

LEIA MAIS: Digitalização do mercado imobiliário: por que você precisa seguir essa tendência

Como o big data ajuda a alugar e vender mais imóveis?

Nunca se falou tanto em experiência do usuário quanto hoje. Talvez porque ela nunca foi tão importante. Hoje em dia, negócios de todos os segmentos precisam entregar não apenas um bom produto/serviço, mas principalmente uma boa experiência.

Para uma imobiliária, isso significa proporcionar ao cliente uma jornada de compra ou locação objetiva, sem ruídos e etapas desnecessárias. A melhor maneira de garantir isso é munido de muitas informações sobre os clientes e processos.

Um dos recursos que podem ser usados nesse sentido é o CRM imobiliário baseado no big data, que permite mensurar o desempenho de cada corretor nas diversas etapas do funil de vendas. Assim, é possível mensurar o impacto de determinados procedimentos no fechamento dos negócios.

Por exemplo, identificar que o corretor mais ágil ao contatar um lead, ou que possui um script bem elaborado, é o mais efetivo na abordagem ao cliente — e, a partir daí, testar seus métodos com outros corretores.

Veja outras sugestões de ações práticas que a imobiliária pode adotar utilizando o big data:

  • A partir do perfil de um cliente, apresentar os imóveis que possuem mais chance de fechamento.
  • Orientar a captação de novos imóveis a partir do entendimento do perfil de imóvel que está sendo mais procurado.
  • Auxiliar na avaliação de imóveis a partir de um histórico de ofertas e fechamentos de imóveis.
  • Identificar o perfil de melhor atuação dos corretores em função da sua taxa de sucesso nos fechamentos para uma distribuição de leads mais eficiente.

A importância dos dados no marketing imobiliário

Hoje, a jornada dos clientes que buscam um imóvel para comprar ou alugar é majoritariamente digital. Em cada passo da sua navegação, essas pessoas geram uma grande variedade de dados, que fornecem informações sobre padrões de comportamento e preferências pessoais.

É assim que Google e Facebook conseguem direcionar conteúdos interessantes para seus usuários, e também monetizar seus negócios, com plataformas para a segmentação de anúncios.

Com o big data, as imobiliárias podem criar anúncios altamente personalizados, com um nível de segmentação tal que torna as campanhas mais eficientes financeiramente. Afinal, é possível mapear os imóveis com mais chances de venda ou locação para determinado cliente, reduzindo drasticamente a despesa com publicidade.

Quer conhecer uma plataforma de CRM para imobiliárias que transforma sua equipe em uma máquina exponencial de vendas? Experimente a Arbo!

Se o que você é de uma plataforma de gestão completa para a sua imobiliária, conheça a Superlógica.

Leitura Recomendada