aumento da inadimplência em condomínios

Como lidar com o aumento da inadimplência em condomínios durante a crise da COVID-19

A crise da COVID-19 trouxe consequências econômicas para diversos setores do mercado no Brasil. Com a diminuição dos postos de trabalho e as dificuldades financeiras momentâneas, administradoras devem se preparar para um potencial aumento da inadimplência em condomínios durante esse período.

Não se trata de ser alarmista, mas estar preparado para os cenários num futuro próximo. Na verdade, algumas regiões do Brasil já registraram altas na inadimplência em condomínios durante o mês de abril de 2020.

Belo Horizonte, por exemplo, registrou alta de 20% de inadimplência. No Rio de Janeiro, esse número foi de 14%. E em Porto Alegre, 3%.

Entretanto, deve-se considerar que a população num geral, trata a quitação da taxa condominial como “essencial”. Em um levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), de 2018, o índice de atraso no pagamento dos condomínios era o segundo menor,  com 11%, atrás apenas dos planos de saúde.


Como evitar o aumento da inadimplência em condomínios?

É importante ressaltar que esse é um período atípico e, muitas vezes, a inadimplência acontece por falta de recursos para efetuar o pagamento, ou até por esquecimento.

Sendo assim, a administradora deve conduzir as cobranças normalmente, mas demonstrando que entende o atual momento e oferecendo facilidades para os condôminos inadimplentes.

Além disso, é possível criar uma comunicação com o intuito de informar aos condôminos a importância do pagamento em dia do condomínio, afinal diversos serviços são prestados diariamente como portaria, limpeza, entre outros, sem contar os colaboradores, que dependem deste trabalho para continuar com suas rendas mensais.

O aumento da inadimplência em condomínios pode, inclusive, prejudicar a manutenção desses serviços.

Neste momento, as famílias estão passando mais tempo em casa, aumentando o consumo de gás, água e demais serviços essenciais que, em muitos casos, estão incluídos na cobrança mensal do condomínio.

Deve-se, então, atentar a todos os possíveis motivos para elaborar os planos de ação e acordos, considerando as respectivas intenções e situação financeira dos condôminos. Ainda, é importante buscar alternativas através da tecnologia e das automatizações. Neste momento, é fundamental não gastar tempo em tarefas repetitivas e contraproducentes e focar no bom fluxo de cobranças.

Ferramentas para combater o aumento da inadimplência no condomínio

Atualmente, já existem no mercado tecnologias que possibilitam às administradoras combater o aumento da inadimplência. Confira abaixo as ferramentas disponíveis para lidar com esse tipo de situação!

Notificações periódicas alertando para o vencimento

É possível automatizar os processos de lembretes e cobranças, com o intuito de diminuir a inadimplência e também a demanda da equipe, para que possam focar em demais tarefas estratégicas.

A automatização pode ser feita através do envio de e-mail, SMS e até cartas para os condôminos.

Para isso, é necessário que o cadastro dos moradores esteja sempre atualizado, assim não há risco de falhas no momento dos envios.

Não há uma frequência ideal para cada tipo de cobrança, mas de modo geral é preciso considerar não fazê-la de modo ostensivo. Uma boa cadência pode ser: 

  • Realizar o lembrete do pagamento cerca de 5 dias antes do vencimento e 1 dia antes;
  • As cobranças de atrasos podem ser feitas 5 dias após do vencimento e, novamente, 15 dias após a data final.

Dessa forma, os lembretes e cobranças são realizados, mas sem exceder a comunicação para não se tornar invasiva.

Diversificar as formas de pagamento

A administradora de condomínios também pode optar por diversificar as formas de pagamento para evitar o aumento da inadimplência no condomínio.

Ao facilitar e oferecer diversos meios de pagamento, abre-se portas para que o condômino utilize o meio que mais lhe agrade. Sendo um diferencial inclusive no relacionamento com seus clientes.

A cota condominial já é paga tradicionalmente por boleto, entretanto, já existem alternativas para recebê-la via cartão de crédito. Por este meio, a cobrança é feita de forma automática. Ou seja, não exige que o condômino se lembre da fatura, evitando os atrasos por esquecimento.

Mesmo a tarifa percentual, uma das maiores desvantagens desse tipo de cobrança, não é mais um grande impeditivo. Soluções como a integração entre Superlógica Condomínios e PJBank permitem que o condomínio receba a cota condominial com uma tarifa fixa, semelhante a dos boletos.   

Facilitar o acesso à 2ª via do boleto

Não é novidade que esse é um dos principais motivos de contato com a administradora por parte dos moradores. Por isso, facilitar o acesso à 2ª via de boleto e deixar esse processo mais ágil pode ser muito vantajoso para a otimização do tempo e a agilidade do pagamento.

Essa facilidade pode ser feita através da implementação de uma PABX, por exemplo. Na ligação, o condômino escuta a gravação e escolhe o número que indica a solicitação da 2ª via do boleto. Após a confirmação dos dados, o sistema envia automaticamente o boleto atualizado para seu e-mail.

Um processo todo automatizado e mais ágil, gerando uma boa experiência para quem usa.

Outra opção bastante viável é a possuir uma área do cliente em seu website ou aplicativo no qual o condômino pode acessar de forma rápida e fácil através da internet.

E na área exclusiva do cliente, pode-se informar todo o seu histórico financeiro, além de disponibilizar a atualização automática da 2ª via do boleto para o pagamento do condomínio.

É importante que essa área do cliente possa ser acessada por meio de computadores, tablets e celulares, facilitando seu uso.

Contratar um BPO de cobrança

Contratar um BPO é transferir a outra empresa a responsabilidade de alguma tarefa ou operação. Neste caso em específico, um BPO de cobrança pode ser uma boa opção, afinal  o processo de cobrança será aplicado por outra empresa especialista nesse tipo de serviço.

Enquanto uma outra empresa realiza esse serviço de cobranças, a administradora de condomínios pode direcionar seus esforços para outros objetivos, como aumentar a obtenção de receita e manter os clientes atuais.

Vale ressaltar que esse é um momento atípico que exige um planejamento analítico e preditivo eficientes para que os danos sejam os menores possíveis.

A administradora deve investir em bons parceiros que a ajudarão na missão de conter o aumento da inadimplência causada pela COVID19, mantendo o funcionamento dos condomínios sem consequências graves.

Sobre a Superlógica

A Superlógica desenvolve o software de gestão líder do mercado brasileiro para empresas de serviço recorrente. Somos referência em economia da recorrência e atuamos nos mercados de SaaS e Assinaturas, Condomínios, Imobiliárias.

Nova call to action

Compartilhar

Comentários

comentarios