Como fazer feedback nas empresas

Feedback 1:1: entenda como ele pode ajudar a sua empresa

Com tantas novas metodologias de gestão e plataformas digitais de comunicação, parece que ferramentas como o feedback 1:1, em que líder e colaborador conversam olho a olho, acabam sendo deixadas um pouco de lado.

Acreditamos que existe um desperdício aí, pois a reunião cara a cara é uma ótima maneira de promover o desenvolvimento pessoal e a melhoria contínua nos processos e no clima organizacional.

Além disso, o feedback 1:1 é mais uma oportunidade de alinhar o colaborador com a cultura e o mindset que a empresa tenta transmitir. Aliás, esse é um dos principais desafios da gestão de pessoas nos tempos atuais.

Neste post, vamos mostrar o que é feedback 1:1, falar sobre outros benefícios dessa prática e dar algumas dicas para implementá-la com efetividade no seu negócio.

Boa leitura!



O que é feedback 1:1?

Feedback 1:1 é uma reunião entre duas pessoas — o líder e o liderado —, que ocorre com o propósito de trocar impressões e alinhar as expectativas profissionais do funcionário com os objetivos e planejamento da empresa.

A expressão vem do inglês e costuma-se falar “one-on-one”, e quer dizer “cara a cara”, e sugere que a reunião deve acontecer apenas com duas pessoas. Portanto, se mais de um gestor comparecer, por exemplo, perde-se a característica de 1:1.

O indicado é que o feedback seja realizado com a câmera de ambos os participantes ligada e quando a pandemia acabar, é bacana que seja presencial.

Quando fazer um feedback 1:1?

É importante deixar claro que não precisa haver algum problema notório para que seja agendado um feedback 1:1.

Afinal, não é porque as tarefas da jornada de trabalho são transpostas sem maiores sobressaltos, que não há nada para ser conversado entre líder e liderado.

É justamente por isso (percepção errada de que não há motivos para sentar e conversar) que as reuniões 1:1 são tão negligenciadas nas empresas.

Existem questões que são importantes perguntar ao colaborador de tempos em tempos, mesmo quando parece não haver necessidade. Assim, elas podem gerar entendimentos úteis para as duas partes.

Claro que o feedback 1:1 também pode ter, na pauta, objetivos mais específicos, como a resolução de um problema ou insatisfação que está latente. A inexistência desse tipo de motivação, porém, não anula a necessidade da reunião.

Benefícios do feedback 1:1

O principal benefício do feedback 1:1 para as empresas é o desenvolvimento do colaborador. Isso porque a reunião pode resultar em um plano de ação que irá ajudá-lo a trabalhar melhor e mais alinhado aos objetivos da organização. 

Outros benefícios que podemos citar são:

  • Aproximação entre líderes e colaboradores: eles passam a se comunicar melhor no dia a dia;
  • Alinhamento em relação à cultura e mindset: como estamos falando de conceitos intangíveis, com alta dose de subjetividade, pode demorar para que esse alinhamento ocorra no dia a dia de trabalho. O feedback 1:1 acelera esse processo;
  • Solução e prevenção de problemas: com os feedbacks ocorrendo, mesmo quando não há um grande problema latente, as pequenas insatisfações ou ruídos de comunicação são resolvidos antes de originarem questões mais graves;
  • Expectativa de carreira: acontece com frequência de o colaborador não ter a menor ideia sobre o seu futuro na empresa. Por isso, os feedbacks cara a cara, realizados regularmente, podem evitar que isso aconteça no seu negócio.

Dicas para praticar o feedback 1:1 no seu negócio

A seguir, veja algumas dicas de como potencializar os benefícios dos feedbacks 1:1 e, principalmente, como implementá-lo na rotina da sua empresa.

Estabeleça um processo

Defina uma frequência regular, baseada no bom senso. É indicado que ele seja realizado a cada 2 ou 3 meses. É importante também que o colaborador seja avisado de antemão, e não pego de surpresa.

Faça um roteiro

Claro que a conversa deve ser orgânica, mas é bom ter algumas perguntas na manga.

Tente dividir 80% do tempo da conversa para perguntas sobre o indivíduo (se ele está feliz no trabalho, por exemplo), e o restante para falar da empresa (pedindo para que o colaborador compartilhe sua visão sobre o negócio).

Entenda que deve haver uma troca

O líder também deve se abrir! É importante que ele compartilhe sua visão sobre a performance do liderado, quais são suas expectativas e quais são os planos da empresa. 

E, claro, abrir o espaço para que o colaborador faça perguntas também.

Saiba ouvir

Se a ideia é escutar a percepção do colaborador, o líder precisa saber ouvir com empatia sempre. Isso quer dizer, saber se colocar no lugar do outro sem julgar atitudes e comportamentos. O importante é priorizar o entendimento mútuo e, depois, pensar em uma solução para os problemas apresentados.

Entenda o quadro completo

Tenha em mente que o feedback 1:1 não é um confronto entre chefe e subordinado. Trata-se de um processo de desenvolvimento que busca alinhar o colaborador com a cultura da empresa.

E entenda que ter paciência é fundamental, pois o alinhamento nunca será completo só com uma reunião. 

Coloque em prática!

O que achou de nossas dicas sobre as reuniões de feedback 1:1?

Implementando essa ferramenta do jeito certo, com certeza sua empresa colherá bons frutos.

Se ficou com alguma dúvida ou tem sugestões sobre o tema, deixe um comentário abaixo. Caso tenha gostado do conteúdo, compartilhe o artigo nas suas redes sociais.

Compartilhar

Comentários

comentarios