Empreendedorismo feminino

Os principais desafios enfrentados por mulheres empreendedoras

Qualquer pessoa que administra um negócio próprio enfrenta grandes desafios. No caso das mulheres empreendedoras, em específico, há dificuldades extras.

Além dos desafios comuns de gestão, só o fato de serem mulheres já faz com que encontrem resistência e, principalmente, as tornam mais suscetíveis a situações de assédio. 

Neste post, listamos alguns dos principais desafios encarados pelas mulheres empreendedoras. Boa leitura!

1. Jornada dupla

Normalmente, boa parte das mulheres empreendedoras já desempenham um grande volume de atividades domésticas. Por isso, estão sempre encontrando novas formas de conciliar casa e trabalho. Essa dupla jornada, portanto, representa um grande desafio para elas. 

Uma rotina tão cheia de compromissos, como sabemos, pode gerar um esgotamento físico e psicológico grave. Aliás, durante a pandemia, intensificaram-se ainda mais. 

Um levantamento do Instituto Rede Mulher Empreendedora (IRME) mostrou que 39% dos negócios gerenciados por mulheres foram encerrados durante a pandemia. Inegavelmente, a adaptação à nova realidade não foi fácil para as empreendedoras. 

O estudo também mostrou que 1 em cada 3 donas de negócio acreditavam que a pandemia comprometeria completamente a renda da empresa.  

2. Impactos psicológicos

De acordo com a pesquisa Empreendedoras e seus negócios 2020, também realizada pelo IRME durante a pandemia, os principais impactos psicológicos relatados pelas mulheres empreendedoras foram ansiedade (para 66% das entrevistadas) e cansaço (para 52%). 

De uma forma geral, a impressão é a de que o isolamento social afetou o emocional da população brasileira como um todo. No caso das mulheres empreendedoras, que também são mães ou cuidam da casa, foi ainda pior. 

Para 17% das entrevistadas, a dificuldade para conciliar trabalho e família aumentou, em contraposição a 8% dos homens nessa mesma situação.

Já organizar o tempo para dar conta de todas as tarefas foi uma dificuldade para 20% das empreendedoras e 11% dos homens empreendedores.    

Apesar disso, 60% das mulheres entrevistadas afirmaram se sentir mais confiantes. Em relação a esse aspecto, 66% das empreendedoras mostraram confiança no futuro do próprio negócio, em contraposição a 59% dos homens. 

Mas o faturamento das donas de negócio foi mais prejudicado do que o dos homens. De acordo com Carla Panisset, coordenadora da comunidade Sebrae, as empreendedoras negras foram as mais afetadas, contraindo mais dívidas.

3. Gestão dos negócios

Ainda segundo a pesquisa Empreendedoras e seus negócios 2020, em relação à gestão dos negócios, os principais desafios enfrentados pelas mulheres são:

  • gestão financeira (para 27% das entrevistadas);
  • divulgação (para 20%);
  • vendas dos produtos e serviços (para 14%).

Além disso, apenas 37% das empreendedoras (contra 53% dos homens) atribuíram a si mesmas uma nota superior a 8 no quesito planejamento estratégico.

Embora a pesquisa não busque explicar esse resultado, poderíamos pensar que essa porcentagem esteja relacionada a uma cobrança elevada sobre a própria capacidade (entre outros motivos).

4. Autocobrança

Ao mesmo tempo em que a autocobrança pode impulsionar as empreendedoras a terem um desempenho cada vez melhor nos negócios, essa prática também pode levar a muita pressão, perfeccionismo e insegurança.

Assim, muitas vezes, a autocobrança excessiva acaba causando sérios danos às donas de negócio. 

Os desafios enfrentados pelas empreendedoras no Brasil são inúmeros. E para você, quais as principais dificuldades na gestão do seu negócio?

 

 

Compartilhar

Comentários

comentarios