Apple vai oferecer serviço recorrente de notícias, séries, filmes e músicas

A Apple está buscando novas formas de receitas. Hoje, a empresa é muito dependente das vendas de hardware com o iMac e iPhone. Por isso, a nova aposta está centrada na economia da recorrência: um serviço de streaming por assinatura. Quem traz a informação é o portal The Information.

Nova call to action

Entretanto, a empresa está indo na contramão de Spotify e Netflix, que focam em apenas um formato do mundo do entretenimento (música e audiovisual respectivamente). A Apple vai oferecer em um só pacote notícias, conteúdo jornalístico, músicas, séries e filmes originais. Entre as concorrentes, o que mais se aproxima desse modelo é Amazon Prime, que oferece conteúdo audiovisual, notícias e músicas.

Como a Apple começou a entrar na economia da recorrência?

O princípio disso tudo começou no início do ano, quando a Apple comprou a Texture. A empresa oferece um serviço de assinatura por US$ 9,90 ao mês que dá acesso a mais de 200 revistas diferentes, incluindo a New Yorker e a Vanity Fair.

A transação, que foi anunciada em março, veio para somar ao time de editorial da empresa para formar o serviço de notícias. O Apple News, aplicativo da empresa, tem nova versão prevista para ser lançada no início do ano que vem e passará a ser cobrada assinatura.

Concorrente da Netflix e Amazon

Além disso, a empresa também passou a desenvolver conteúdo original em vídeo. Em junho de 2017, a Apple contratou Jamie Erlicht e Zack van Amburg, executivos da Sony Pictures, para tocar a nova empreitada

O objetivo é produzir material audiovisual e conseguir licenças para distribuir por outros parceiros. Para isso, a companhia investiu US$ 1 bi. É pouco comparado ao que Netflix (US$ 8 bi) e Amazon (US$ 5 bi), mas ainda assim é um valor considerável para início.

Foi anunciado nas últimas semanas um acordo com Oprah Winfrey para fazer séries de TV para a empresa e encomendada uma série de Damien Chazelle, diretor de La La Land e ganhador do Oscar; uma adaptação da série de livros Fundação de Isaac Asimov; uma série de suspense de M. Night Shyamalan (diretor de Sexto Sentido e Sinais); além de muitas outras.

Como o mercado vê isso?

A empresa juntaria o de streaming de vídeo, assinatura de notícias e o Apple Music em um único pacote. Segundo reportado, seria possível assinar o pacote todo (notícias, vídeo e música) ou cada serviço separado (obviamente sendo mais caro individualmente que o outro). A expectativa é que tudo seja lançado no ano que vem e que possa incluir ainda o iCloud junto.

Analistas de mercado, segundo a matéria da The Information, acreditam que a Apple pode mais que dobrar o número de assinantes que já tem no Apple Music. Desde que foi lançado em 2015, o serviço já acumulou 40 milhões de assinantes. Com o “pacote” prometido, a expectativa é que esse número suba para mais de 100 milhões em no máximo 3 anos. A ideia de oferecer “pacotes” com várias formas de entretenimento poderia ser uma forma de diferenciação das outras concorrentes.

O grande questionamento que fica é o quanto a Apple vai conseguir convencer os usuários a pagar pelo conteúdo em vídeo. Dentre todos os serviços, apenas o Netflix conseguiu isso. Além disso, o Google através do Youtube, também vem entrando no mercado com o Youtube Premium. É bastante concorrência em conjunto.

Por fim, outra dúvida que fica é como eles farão para pagar os parceiros de mídia que estarão cedendo conteúdo licenciado. A Texture, aplicativo de assinatura de revistas comprado pela Apple, cedia uma taxa das assinaturas para cada editora.

Não há previsão para o lançamento dos serviços de assinatura de notícias ou de streaming em vídeo separadamente ou no pacote.

Sobre a Superlógica

A Superlógica desenvolve o software de gestão (ERP) líder do mercado brasileiro para empresas de serviço recorrente. Somos referência em economia da recorrência e atuamos em cinco segmentos de mercado: SaaS e Assinaturas, Condomínios, Imobiliárias, Educação e Empresas de Comunicação Visual.

A Superlógica também realiza o Superlógica Xperience, maior evento sobre a economia da recorrência da América Latina, e o Superlógica Next, evento itinerante falando sobre a transformação digital e os desafios do mercado de condomínios.   



Compartilhar

Comentários

comentarios