Odirley Rocha: “Para gerenciar um condomínio é preciso apresentar solução e tendências mundiais”

A tecnologia na segurança de condomínios nunca esteve tão em pauta quanto nos dias de hoje. Trata-se de um mercado que vem ganhando sofisticação e utilidade essencial na rotina dos condôminos. A inovação tornou-se quesito obrigatório para as administradoras de condomínio e síndicos, que precisam equalizar o melhor custo benefício para os seus clientes.

Empresas como o Kiper, que trazem soluções tecnológicas para o controle e gerenciamento à distância do acesso à portaria, sabem como este é um segmento que tem recebido especial atenção nos últimos anos. Mais que uma tendência, a integração inteligente entre hardware e softwares, garante segurança efetiva e também proporciona redução de custos na casa de 60%.

É sobre a relevância da aplicação da tecnologia na segurança de condomínios que Odirley Rocha, diretor de vendas da Kiper, conversa com a Superlógica nesse podcast.

Para conhecer as últimas novidades do mercado, Odirley foi até o Vale do Silício, localizado na cidade de São Francisco, na Califórnia (Estados Unidos). A região é conhecida por abrigar empresas e startups que estão hoje testando soluções que farão parte do futuro da sociedade em diversos aspectos, entre eles segurança privada, serviços e mobilidade, apenas para citar alguns.

De volta ao Brasil e com muitas novidades na bagagem, o entrevistado reforça o papel das administradoras de condomínio nesse cenário inovador, que segue em expansão. “Para gerenciar um condomínio é preciso apresentar solução, ideias novas e tendências mundiais”, define.

Nesse podcast, Odirley dá uma pequena mostra do que será apresentado no Superlógica Next 2018, evento que está percorrendo 10 cidades brasileiras com foco na inovação e no futuro dos negócios da administração de condomínios.

Como um dos profissionais palestrantes do evento, Odirley Rocha lembra que “a tecnologia aplicada à segurança e aos serviços é um caminho sem volta”. O tamanho desse mercado tem números expressivos. O faturamento do setor de automação industrial, do qual fazem parte as soluções digitais de vigilância, chegou a R$ 4,3 bilhões, em 2017, segundo a Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica).

O que você vai ver por aqui:

  • Os principais cuidados com a segurança de condomínios
  • Qual o papel do síndico com relação à segurança
  • Qual o papel das administradoras de condomínio nesse cenário
  • Como as inovações tecnológicas estão integradas aos serviços e segurança de um condomínio
  • Tendências que estão sendo testadas hoje no Vale do Silício (EUA) para aumentar a segurança e melhorar a qualidade de serviços condominiais
  • As três principais inovações para a área de segurança privada
  • O que é a portaria remota
  • Como funciona o serviço de portaria remota
  • Qual a tecnologia por trás dos serviços remotos de acesso
  • O que Odirley Rocha vai apresentar como palestrante no Superlógica Next 2018

Quais são os principais cuidados com a segurança nos condomínios? Essa é uma pergunta que você já deve ter ouvido muito, mas não deixa de ser importante, não é?

É uma pergunta bem interessante e, muitas vezes, nós condôminos e síndicos, esquecemos desses pequenos detalhes.

(Alguns) cuidados com a segurança do condomínio: na hora em que você estiver entrando no seu condomínio, seja de carro ou como pedestre, é importante observar dos lados e atrás de você, se não tem nenhuma pessoa te observando. O que está acontecendo muito agora é que muitas pessoas estão fingindo que estão no celular, do lado do portão de entrada, e na hora em que você passa com o carro, elas entram atrás de você. Ou, na hora que você entra, você pensa que a porta fechou e elas dão uma “seguradinha” com o dedo ou com o pé por baixo, e a porta não fecha. Aí essas pessoas entram com você. Esse é um dos cuidados que temos de ter.

Outro detalhe importante também é observar as pessoas que circulam no nosso hall de entrada, que não são comuns. Sempre faça uma observação para o zelador, converse com o síndico, porque essa pessoa estranha, que está aí e que você não conhece, pode ser, realmente, alguém que está fazendo uma besteira dentro do seu condomínio.

90% das invasões nos nossos condomínios, são pela entrada de pedestres ou pelo portão de veículos

Então, é algo que temos que observar. Esses são dados da Polícia Militar. Tome muito cuidado quando você entra e sai. Observe se não tem ninguém entrando com você, porque essa responsabilidade é sua. Isso tem de ficar claro. Lá no Código Civil está claro que você é responsável pela segurança das suas partes. E que partes são essas? As partes comuns e a parte interna que é o direito do seu apartamento. Então, tome bastante cuidado nessa questão: quando você entra e quando sai do condomínio.

Qual é o papel do síndico em relação à segurança de um condomínio?

O papel do síndico é algo muito importante. Lá no Código Civil Brasileiro, artigo 1348, deixa claro os deveres do síndico. Lá (no Código) diz: “zelar pelos serviços e pela segurança”. É algo muito importante. Muitas vezes, os síndicos não sabem de suas responsabilidades, seus deveres e o quanto ele pode ser penalizado por negligenciar a questão de segurança. O papel do síndico dentro de um condomínio é como se fosse um líder ou CEO de uma empresa, onde ele vai administrar, alocar recursos, dar um direcionamento. E, como o CEO de uma empresa, ele vai responder pelas suas atitudes, pelo caminho que ele vai tomar.

Acho até importante comentar: eu estava dando uma palestra sobre segurança em condomínio e como entendemos um pouco sobre legislação, depois da palestra, numa praia, uma síndica chegou para mim e disse: “Odirley, eu não quis ser síndica, foram eles que me colocaram, mas sou a única moradora do condomínio”. Enfim, muitas vezes o síndico não sabe de suas responsabilidades e quanto ele pode ser penalizado. Ele é responsável civil e criminalmente por tudo o que acontece no condomínio. “Síndicos, se atentem. É importante buscar informação, conhecimento e tenha a certeza de que, se você andar conforme as regras, não será penalizado”.

E qual é o papel das administradoras? Nós temos um contato muito forte com elas. No próprio Superlógica Next, no qual teremos um evento contigo, a maioria de presença é quase toda de administradoras. Então, qual é o papel delas com relação à segurança?

O papel da administradora é fundamental. Quando ela presta um serviço para um condomínio deve levar a solução, ideias novas e tendências mundiais. Por isso, os gestores das administradoras precisam estar em um evento como o Next. Porque ali tem tendências mundiais, o futuro das administradoras.

E, então, ele (o gestor) pega esse conceito de tecnologia, de novidade e leva para o síndico. Imagine, você, uma administradora de condomínio, recebendo uma informação do síndico: “Você já ouviu falar sobre essa nova tendência?” e você (administradora) nem tinha ouvido falar. Por isso, é muito importante a administradora de condomínio estar presente e sempre ser a primeiro a levar para o síndico. Aí, o síndico vai pensar: “Realmente, estou com a administradora certa, que busca informação. Eu não preciso me preocupar”. É muito importante você que participa da gestão de uma administradora, estar atento a grandes eventos como esse, o Next da Superlógica.

Eu sei que você acabou de fazer uma viagem para São Francisco. Nós vamos falar sobre isso, mas antes, eu queria falar sobre o que é o IOT (Internet of Things) ou “Internet das Coisas”. O que seria o IOT?

Na verdade, a Internet das Coisas veio para ficar e lá no Vale do Silício isso já não é mais novidade. Para nós, aqui no Brasil, ainda é. Mas, lá tudo está integrado dentro do seu apartamento, da sua casa. Vamos falar um pouquinho mais daqui a pouco e também vamos falar no evento Superlógica Next como a Internet das Coisas vai estar junto de nós no condomínio. O que isso vai influenciar no nosso serviço como administradora, como síndico, como conselheiro. Não tem mais volta: a Internet das Coisas chegou para ficar. É a integração das soluções em um único aplicativo, ou em uma única informação, onde você vai ter o controle na palma da sua mão.

Então, quer dizer que a nossa vida vai estar cada vez mais conectada. A gente tem que acompanhar a inovação. Ela faz muito sentido para as nossas vidas e tem muito a ver com conveniência nos condomínios. Fale um pouco sobre a sua viagem para São Francisco, Vale do Silício, nos Estados Unidos, a “Meca” da inovação, o local que tem as coisas mais modernas, as maiores inovações do mundo.

Essa viagem para o Vale do Silício foi fantástica. Estou comentando com todos que foi como uma pós-graduação em 13 dias em que passamos lá. Conhecemos grandes startups, grandes aceleradoras, grandes empresas, que já são de renomes mundiais. É fantástico.

Imagine você estar andando na calçada e um carro autônomo passar por você. Você pensa: “Meu Deus, que estranho, um carro autônomo!” e logo em seguida (passa) outro, e logo outro. É algo comum carro autônomo por lá. Claro, que devido a algumas leis, tem que ter a pessoa dentro apenas para ficar sem fazer nada. O carro autônomo já é algo comum.

Outra coisa fantástica que nós percebemos lá é que há uma grande tendência nos drones. Eles, na questão de serviços, não têm mais volta no âmbito global. Coisas que hoje são feitas por motoqueiros ou por empresas de tele entrega é algo que os drones vão fazer. É uma realidade e isso já está acontecendo com muita facilidade. Nós visitamos uma empresa de drone que pode carregar uma carga de 180 Kg. É impressionante onde está chegando isso.

A questão também da integração dos CEOs das empresas. Lá é impressionante o quanto que um CEO conversa com o seu concorrente CEO e abre todas as informações (como por exemplo): “Errei nisso, acertei naquilo”. E eles crescem juntos. 

Pois é, Odirley. O Vale do Silício é incrível. O pessoal da Superlógica foi (para lá) no ano passado e foi esse ano também, porque sabe que lá é um local incrível para ter insights, para conhecer tudo o que o mercado está entregando, o que está fazendo de melhor em inovação. Você pode contar para a gente as três inovações na área de segurança para os próximos anos?

Sobre as inovações no mercado de segurança: a questão dos drones. Realmente, é algo que “pegou” e, cada vez mais, vai estar (inserido) na proteção. A questão da internet das coisas, na qual você terá na palma das mãos todos os serviços e tudo mais.

E, na área de condomínio, cada vez mais, nós estamos vendo serviços sendo entregues dentro do próprio condomínio e (de forma), totalmente, integrada a alguns serviços que você faz, quando você sai do condomínio. Então, cada vez mais, essa questão de estar dentro do condomínio, ou seja, não sair para fazer alguns serviços, realmente, é uma tendência e está chegando com muita força.

Outra questão importante também é a parte de automação e controle de elevadores, que está evoluindo de uma maneira muito rápida no que diz respeito à integração com softwares de manutenção e tudo mais. (Essa) é uma outra tendência de segurança dentro do condomínio.

Agora que já falamos muito sobre o conceito de segurança em condomínios, eu queria que você explicasse para a gente como funciona a portaria remota.

A portaria remota é uma tendência que surgiu há alguns anos. O que nós fazemos: tiramos o porteiro da área de risco dele, que é a guarita. Ela muitas vezes não tem banheiro, ar condicionado ou ele fica lá “apertado”. Nós o levamos para uma empresa de segurança e lá ele vai ser supervisionado 24 horas por dia por uma pessoa controlando os processos, e a partir de agora, todo o atendimento no condomínio, vai ser feito remotamente.

A pessoa vai tocar um interfone inteligente, que vai acionar a empresa de segurança (por exemplo): “Eu queria falar com o Giovanni do 401”. Automaticamente, já “explode” as câmeras para o porteiro, “explode” o telefone e ele vai discar: “Seu Giovanni, estou com o Odirley aqui embaixo. O senhor autoriza a entrada dele?”. Se o Giovanni autorizar, automaticamente, o porteiro aperta o botão e a porta abre, porque a porta é automatiza. O Odirley nem vai precisar empurrar a porta. Ele entra e sai.

Depois, tem a questão da eclusa: vai entrar na primeira porta e, o porteiro remoto, só vai abrir a segunda porta se a primeira estiver fechada e quem está autorizado é (a pessoa) que tiver dentro da eclusa e, então, abre-se a segunda porta.

O conceito da portaria remota é fazer o atendimento que o porteiro faz ali dentro do condomínio, só que remotamente, e, também, cumprir aquilo que os síndicos sempre sonharam: o regimento interno no controle de acesso e isso vai acontecer, a partir de agora, com os processos que serão instalados.

E agora aquele “jargão” que virou quase uma piada, mas que faz muito sentido e muita gente perguntou depois da sua palestra no Superlógica Next: “Mas, e se acabar a energia, Odirley?”.

(Risos) É fantástico isso. Na verdade, todo o processo é personalizado quando se faz um projeto de portaria remota. Uma das primeiras perguntas que os nossos consultores parceiros fazem é: “Síndico, faltou energia elétrica nos últimos 12 meses no seu condomínio e nesses 12 meses, se faltou, por qual período?”. Nesse caso é feita toda uma análise de risco que pode indicar ou um gerador ou um simples nobreak para aguentar algumas horas. Mas, vai depender muito do histórico do condomínio. Mesmo sem energia elétrica, todo o sistema continua funcionando, sem problema nenhum.

E se cair a internet? Eu sei que vocês têm um parceiro local. Como vocês fazem com isso?

Nós não usamos internet, usamos intranet. Somos um “túnel” exclusivo que vai lá do condomínio até a empresa de segurança. Esse “túnel” não divide internet com alguém na esquina (que está) usando o YouTube ou assistindo Netflix. É exclusivo para evitar que haja delay (atraso) na imagem ou que “picote” o áudio. (Trata-se de) um link de intranet.

Mas, mesmo se intranet cair, que é muito mais difícil de acontecer (na comparação) com essa internet que hoje cai direto, o nosso SLA (acordo de nível de serviço com um fornecedor) é muito menor. As empresas hoje se preocupam em resolver muito rapidamente, porque o valor que é pago em um link de intranet  é três, quatro ou cinco vezes mais caro que uma internet comum do mercado.

Mas, se cair, no exato momento, o porteiro remoto sabe dessa informação e ele já desloca um porteiro que começa a fazer um atendimento como se fosse um porteiro lá no local. Porém, todo o processo de QR Code, de tag, de controle remoto, continua funcionando no condomínio, sendo que apenas o atendimento é que vai ser feito por um porteiro lá no local, a partir do momento que cair o link da intranet.

Agora, para fechar, nós vamos fazer um convite para as pessoas entrarem no site next.superlogica.com, onde a gente tem os 10 eventos marcados do Superlógica Next, com as cidades por onde vamos passar. E para quem não sabe, o evento vai falar esse ano sobre a reinvenção das administradoras (de condomínios). É um evento focado em levar inovação e falar de tecnologia nas mudanças de mercado. Na pauta está a segurança condominial, que será tratado pelo Odirley. Conte um pouquinho sobre o que você vai falar (mas, não dá muito spoiler, não). É só uma “degustação” para o pessoal se interessar.

Nós vamos falar sobre o futuro da segurança condominial, mais focada nessa área de tecnologia, Nessa nova era de serviços que está acontecendo e no que diz respeito à proteção (privada). Como já falamos aqui nessa entrevista, (na qual) fizemos uma geral de tudo que nós vimos no Vale do Silício. E aplicaremos o conceito (para o mercado) brasileiro, porque (a inovação) vai chegar, não tem mais volta. Nós vamos falar bastante sobre as novas tendências de seguranças e serviços dentro do condomínio.

Conheça a programação completa do Superlógica Next 2018. Clique aqui e saiba se o evento vai passar pela sua cidade. Fique por dentro da inovação que está mudando hoje mesmo o futuro das administradoras de condomínio.


Compartilhar

Comentários

comentarios