Recrutamento e seleção de talentos para imobiliárias digitais

Desafios do recrutamento e seleção de talentos para imobiliárias digitais

Já abordamos, aqui no blog, a digitalização do mercado imobiliário e a necessidade de se estruturar como uma imobiliária digital. Neste post, vamos falar sobre o que isso tem a ver com recrutamento e seleção.

Baseados no relatório Real Estate Predictions 2021, abordaremos quais são os novos desafios que se impõem nessa área e trazer os insights da Deloitte, autora da publicação e uma das maiores empresas de consultoria do mundo.

O argumento que usamos como ponto de partida é simples! Em um mercado no qual os processos irreversivelmente têm se digitalizado, atualizar a estratégia de recrutamento e seleção de talentos é fundamental.

O imperativo da atualização dos talentos

Entre os entrevistados em uma pesquisa da Deloitte sobre serviços financeiros publicada em 2020, 41% reconhecem os esforços de suas empresas para usar soluções tecnológicas que redefinem processos, funções e requisitos.

Mas apenas 36% têm conhecimento sobre esforços das companhias na atualização da estratégia de recrutamento e seleção de talentos para se adequar ao novo cenário.

Uma das conclusões de Real Estate Predictions 2021 é que a digitalização é um caminho sem volta. Portanto, deixar de construir processos para selecionar e recrutar talentos alinhados às novas demandas é um erro.

A seguir, veja quais são os insights que a Deloitte traz em seu relatório sobre esse desafio.

Redefinindo funções e habilidades

Segundo a Deloitte, com a evolução das funções no mercado imobiliário, os trabalhadores provavelmente usarão tecnologias para automatizar determinadas tarefas. Além disso, ainda usarão sua expertise para conduzir análises e fortalecer o engajamento dos inquilinos.

“Por exemplo, os gerentes de locação podem ter mais tempo para focar na melhora do engajamento do cliente se usarem análises preditivas. Assim, será possível desenvolver estratégias de otimização de locações. E outras tarefas, como o faturamento, seriam automatizadas, liberando ainda mais tempo”, diz o relatório.

Modernizando a abordagem de recrutamento

Imobiliárias podem usar diferentes tecnologias em seu processo de recrutamento, para atrair talentos com as qualificações desejadas. Líderes podem criar conteúdo digital e usar redes sociais e plataformas de empregos para promover oportunidades.

A Intuit, um exemplo citado no relatório, utiliza realidade virtual para dar aos candidatos uma melhor noção de como seria trabalhar na empresa e de qual a sua cultura em relação ao uso da tecnologia.

Segundo a Deloitte, além de melhorar o entendimento do candidato, esse tipo de ação eleva a marca da organização.

Criando mercados de talento alternativos

A dica aqui é considerar, no recrutamento e seleção de talentos, canais não convencionais.

O relatório traz como exemplo a força de trabalho alternativa, que consiste em freelancers (entre outros), está em rápida expansão. Por isso, pode ser uma ampla fonte de acesso a talentos com habilidades tecnológicas para as imobiliárias.

Outra opção é olhar para o mercado interno de talentos, avaliando oportunidades de upskilling (aprimoramento de habilidades para um profissional realizar melhor sua função) e reskilling (treinamento para capacitar um profissional com novas habilidades, para realizar uma nova função).

Nesse sentido, programas internos de mentoria e compartilhamento de conhecimento podem ser bastante úteis. Afinal, profissionais mais experientes treinam jovens sobre soft skills, enquanto os jovens ajudam os demais a trabalharem com ferramentas tecnológicas.

Fortalecendo a análise de talentos

Por fim, a última ação recomendada pela Deloitte para atualizar as estratégias de recrutamento e seleção nas imobiliárias é dar uma atenção maior à análise de talentos. Aqui, é importante passar a utilizar dados e ferramentas de analytics nos processos.

O uso de uma solução tecnológica para buscar e filtrar currículos, por exemplo, pode ajudar a encontrar candidatos com os requisitos desejados. Isso irá evitar as distorções que o viés humano da seleção pode causar.

Do mesmo modo, recursos de data mining (mineração de dados, um processo em que algoritmos exploram dados à procura de padrões) podem ajudar líderes a selecionar os candidatos mais apropriados. Já que poderão comparar suas habilidades, experiência e histórico profissional com os requisitos da vaga.

As possibilidades vão ainda além! É possível avaliar os candidatos que participam da seleção a partir de dados gerados já com o processo em andamento.

Conclusão

Seja quais forem as estratégias utilizadas, ser capaz de mudar e se adaptar rapidamente é uma necessidade cada vez mais importante nas imobiliárias. Sem dúvidas, isso passa pela digitalização dos processos.

Desse modo, contar com colaboradores que compreendem esse novo contexto e são capazes de tirar o melhor do que a tecnologia tem a oferecer é uma questão estratégica essencial.

Se você gostou dos insights da Deloitte, pode ler o relatório Real Estate Predictions 2021 completo (em inglês) acessando o link.

Para mais reflexões sobre o futuro (e o presente) do mercado das imobiliárias, continue acompanhando nosso blog.

Compartilhar

Comentários

comentarios