produtividade no home office

Como manter a produtividade trabalhando a distância

Entre as pessoas que estudam novas formas de organização laboral, é praticamente um consenso que o trabalho remoto é algo que veio para ficar — a pandemia do novo coronavírus apenas acelerou essa tendência.

Além da satisfação da equipe, permitir que os colaboradores trabalhem a distância possibilita que a empresa contrate profissionais de qualquer lugar do país e do mundo.

E como fica a produtividade?

A resistência de muitos gestores em relação à liberação do trabalho remoto é por conta de uma possível queda de produtividade no home office.



Se você também tem esse receio, fique tranquilo. O que faz a produtividade da equipe oscilar não é o fato de as pessoas estarem trabalhando em casa ou no escritório, e sim a maneira como os times são geridos.

Organizando o trabalho remoto na empresa

A seguir, confira algumas das principais premissas que os gestores devem levar em conta ao implementar o sistema de trabalho a distância.

Gestão por objetivos e entregas

Estabelecer uma carga horária é importante, mas não garante produtividade. O ideal é que equipes remotas sejam orientadas por objetivos e entregas.

Isto é, os colaboradores trabalham com projetos e tarefas com deadlines, além de metas e indicadores que dão um maior senso de direção.

A orientação por entregas é comum em empresas com modelos modernos de gestão e, para ser bem assimilada, deve fazer parte da cultura organizacional da companhia.

Comunicação reforçada

O fato de os colegas não estarem mais lado a lado não quer dizer que trocar ideias, tirar dúvidas e fazer observações sobre o trabalho ficou mais difícil.

É preciso garantir que os membros da equipe estejam em constante comunicação pelos canais digitais.

Mas há um ponto de atenção aqui: gestores devem estar atentos a profissionais que desempenham tarefas que exigem maior concentração (escrever um relatório ou montar uma apresentação importante, por exemplo).

Nesses casos, deve-se permitir que tirem parte do dia para se ausentar das constantes trocas de mensagem para evitar distrações e focar no trabalho.

Ferramentas digitais

Há uma série de ferramentas que possibilitam a comunicação constante, como recomendamos no tópico anterior, e facilitam o acompanhamento dos projetos sem que todo mundo visualize o mesmo quadro branco na parede.

Por exemplo: Trello (aplicativo de gestão de projetos), Slack (plataforma de comunicação corporativa) e Zoom (aplicativo de videoconferências).

Cultura assíncrona

Apesar de ser possível fazer reuniões por videoconferência e trocar mensagens por chat, uma empresa que amadurece no trabalho remoto geralmente nota uma diminuição na necessidade desses contatos — de uma forma que é benéfica para a produtividade.

Isso acontece graças às atividades assíncronas: os funcionários colaboram entre si sem que seja preciso encontrar uma brecha na agenda para conversarem.

Isso acontece por meio da organização da informação e do conhecimento com backlogs, wikis, manuais, etc. É um modelo que dá mais autonomia e aumenta a produtividade da equipe.

Estrutura de trabalho

Pode acontecer de um funcionário não gostar de trabalhar em casa porque ele não possui uma estrutura cômoda ou funcional em seu lar.

Para evitar que isso aconteça, procure identificar as necessidades dos colaboradores — quanto a computador, acessórios, cadeira, etc. — e providenciar o que for possível.

Modelo híbrido

Não havendo restrições de saúde, é interessante promover encontros presenciais sempre que possível e conveniente, o que pode colaborar com a união da equipe.

Se a resistência ao trabalho a distância ainda for grande, a empresa pode experimentar um modelo híbrido, com uma escala de trabalho que intercala dias de trabalho no escritório com dias de home office.

Oriente sua equipe quanto ao trabalho remoto

As dicas que exibimos acima são relacionadas à gestão da empresa. Mas os colaboradores também devem ficar atentos a algumas premissas para que seu trabalho renda em casa tanto quanto (ou mais) rende no escritório.

Os gestores podem orientá-los com um manual ou treinamento de boas práticas de produtividade no home office. Alguns itens que podem constar nele são:

  • Tenha uma rotina: não deixar o dia para o improviso, seguir uma ordem com as atividades do dia (tanto pessoais quanto profissionais).
  • Respeite o horário: mesmo que a empresa tenha horários flexíveis, é importante começar e encerrar o trabalho no mesmo horário, o que reforça a rotina.
  • Crie um bom ambiente: o local destinado ao trabalho deve estar limpo, arrumado e, dentro do possível, livre de distrações.
  • Simule o escritório: nada de trabalhar na cama ou de pijama. Tente se portar como se estivesse trabalhando na empresa.

Sobre a Superlógica

A Superlógica desenvolve o software de gestão líder do mercado brasileiro para empresas de serviço recorrente. Somos referência em economia da recorrência e atuamos nos mercados de SaaS e Assinaturas, Condomínios e Imobiliárias.

New call-to-action

Compartilhar

Comentários

comentarios