o que é pagamento recorrente para escolas

Como reduzir a inadimplência escolar através do pagamento recorrente

O que é pagamento recorrente? Uma das ferramentas mais eficientes para superar um dos maiores desafios no controle financeiro das instituições de ensino: o combate à inadimplência escolar.

O número de inadimplentes bateu recordes históricos em junho de 2019. Segundo dados do Serasa Experian, o total de brasileiros negativados chegou a 63.4 milhões, cerca de 40% da população economicamente ativa.

A resposta encontrada por escolas e cursos livres foi aderir ao pagamento recorrente, que se trata da automatização de cobranças dentro de um período pré-determinado (que tradicionalmente é mensal).

O status da inadimplência escolar no Brasil

Antes de encontrar a solução, é necessário entender como está o cenário brasileiro para os devedores. Gestores de escolas e cursos livres precisam tomar muito cuidado para que suas taxas de inadimplência não estejam altas a ponto de danificar o fluxo de caixa.

Taxas de inadimplência acima de 10% são perigosas para empresas do segmento de ensino. De acordo com o levantamento do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo (SIEEESP), a média de inadimplência no Estado, em junho de 2019, foi de 8,24%.

Além disso, outro ponto identificado na pesquisa foram os períodos mais propícios para aumento desse índice. Em 2018, o período entre junho e novembro foi único em que se registrou médias acima de 8%, indicando uma tendência para os números aumentarem no segundo semestre.

Mesmo assim não baseie sua análise em médias amplas, como nacionais e estaduais. O primeiro passo para montar uma estratégia de combate à inadimplência é estudar o contexto da sua região. Por exemplo, em Campinas um índice de 6% não é algo positivo, já que a média municipal é 5,43%.


O que fazer com pais e alunos inadimplentes?

Com total ciência de seu índice de inadimplência é possível dar início a um plano para combater os atrasos. Para montar esse planejamento existem alguns pontos cruciais a serem observados:

Segmente os endividados por tipo 

Considere que na rotina das pessoas existem gastos vistos como mais importantes do que a mensalidade escolar. De acordo com um estudo do SPC, 34% dos entrevistados afirmaram não estar em dia com escolas e faculdades. Enquanto isso as necessidades básicas como plano de saúde (7%), condomínio (11%) e aluguel (16%), apresentaram médias mais baixas.

Assim é interessante separar em grupos os tipos de endividados para saber quais são as abordagens corretas. O SIEESP identifica dois tipos de devedores, os passivos, que atrasam as contas por falta de recursos financeiros, e os ativos, que atrasam propositalmente para negociar valores menores depois.

Outra maneira é separá-los por frequência dos atrasos, entre os que o fazem frequentemente e os que fazem esporadicamente. Sempre leve em consideração as especificidades de cada indivíduo, às vezes um bom cliente pode estar com dificuldades ou desempregado.

Siga a legislação

Também é preciso conhecer os limites do que pode ser feito. Existem leis específicas para a tratativa de inadimplentes, as quais podem render até processos judiciais contra a instituição de ensino.

Segundo Soraia Panella, coordenadora de atendimento do Procon-RJ, “os estabelecimentos de ensino não podem fazer o aluno passar por situação vexatória em decorrência da cobrança, nem reter documentos e nem impedir a progressão pedagógica”.

O assunto também foi comentado por Ricardo Chiminazzo, presidente da Comissão de Direito do Consumidor da OAB Campinas. “O ideal é entrar em contato com o responsável financeiro e tentar um acordo sem a necessidade de judicializar. Recomenda-se o registro dos contatos e que se tenham provas que foi dada a oportunidade ao consumidor de comprovar que houve pagamento”.

Serviços de proteção ao crédito são a última alternativa

Não existe um consenso sobre a inclusão de inadimplentes de instituições de ensino em serviços de proteção ao crédito. A legislação não proíbe o protesto em cartório, entretanto os especialistas em direito do consumidor recomendam tomar outras medidas.

Panella entende que “em caso de dano ou constrangimento aos pais e alunos, o procedimento é indevido. Caso vá ao judicial, o juiz poderá utilizar-se da jurisprudência para decidir a validade do caso”.

Chiminazzo, por sua vez, recomenda que “para se resguardar, diversas escolas colocam em seus contratos, de forma expressa, que o inadimplente estará sujeito a lançamento de seu nome em cadastros protetivos. Importante sempre, caso a escola opte por usar desse meio, respeitar os procedimentos prévios a negativação, em especial as comunicações ao consumidor”.

Para conhecer as melhores iniciativas para cobrar os devedores, confira nosso blogpost “Inadimplência escolar: como cobrar atrasos de pais e alunos”.

O que é pagamento recorrente para escolas?

O pagamento recorrente é um efeito crescente do que é conhecido como economia da recorrência. Neste modelo de negócio as cobranças são feitas periodicamente através de assinaturas e aluguéis, como as mensalidades escolares.

Na verdade, esse conceito é aplicado em diversas plataformas do nosso dia a dia. Netflix, Spotify e Amazon Prime Video estão entre muitos outros serviços utilizados pelo público. Até mesmo a Adobe, gigante dos softwares de criação e edição, migrou para o modelo em 2012 – obtendo sucesso no aumento de sua receita.

Um dos pilares desse movimento são os pagamentos recorrentes, ou seja, a automatização de cobranças em período pré-determinado. Entretanto, no caso de escolas e cursos livres os recebimentos são feitos, tradicionalmente, por boletos impressos ou enviados por e-mail, exigindo a ação dos pais de ir a uma agência ou copiar o código de barras no aplicativo do banco.

Ao optar pelos pagamentos recorrentes, essas instituições de ensino oferecem uma série de vantagens aos pais e alunos, bem como mais estabilidade e controle financeiro para a escola. Conheça esses benefícios:

Possibilidade de cobrar por diversos meios de pagamento

Quanto mais maneiras oferecidas para o cliente quitar suas dívidas, mais ele perceberá que você o considera importante. Além, claro, de deixar que ele escolha a maneira mais cômoda para pagar a mensalidade escolar.

A opção de pagamento mais conhecida é o boleto bancário, entretanto, existem softwares de gestão que permitem o recebimento via cartão de créditoEsta última sempre fora vista como uma opção pior para os gestores devido à necessidade de pagar uma taxa percentual. Porém, com a integração entre o Superlógica Educacional e o PJBank, é possível receber com tarifa fixa de valor semelhante ao de um boleto.



Diminuição da inadimplência por esquecimento

Além dos tipos de inadimplentes definidos pelo SIEEESP, também devemos considerar a possibilidade de esquecimento. Os métodos de cobrança tradicionais exigem que os clientes se lembrem de pagar os títulos na data correta.

O pagamento recorrente por cartão de crédito, por sua vez, é feito automaticamente – e com retentativas inteligentes caso exista algum bloqueio na primeira vez. Esse método oferece comodidade aos pais para que não precisem mais se preocupar como os vencimentos. Mais ainda, com um bom sistema de gestão, mesmo que o limite do cartão esteja estourado, um boleto será enviado automaticamente para o e-mail do responsável.

Previsibilidade de receita

Com o pagamento recorrente é possível ter uma projeção mais precisa sobre a entrada da receita. Utilizando um bom sistema de gestão, que faça a confirmação dos pagamentos na hora, lhe permitirá saber exatamente quando você poderá contar com essa quantia.

Assim, a liquidez do fluxo de caixa é mais facilmente analisada, permitindo um planejamento de despesas mais inteligente.

Benefícios para os pais

Ao adotar um novo meio de pagamento, os responsáveis financeiros pelo aluno precisam ter valor agregado. Além de possibilitar um maior controle financeiro, com as contas sendo unificadas na fatura do cartão, há a comodidade de não precisar interromper a rotina e ficar horas numa fila de caixa ou lotérica.

Ao optarem pelo pagamento recorrente com cartão de crédito, os pais são beneficiados pelos sistemas de pontos e milhas de vantagens das operadoras de cartão de crédito. Ao mesmo tempo que quitam suas dívidas, eles podem juntar pontos para viajar com descontos com a família.

Por meio da recorrência, este método de pagamento é uma realidade intrínseca aos serviços que recebem por assinaturas ou mensalidades. Empresas de Software as a Service (SaaS) ganharam força no mercado graças a revolução nos meios de arrecadação de receita.

Para escolas e cursos livres, os quais também estão dentro da economia da recorrência, ainda há um pouco de relutância em abandonar os sistemas de cobrança mais antigos. No entanto, o cenário está mudando, com mais e mais gestores interessados em saber definitivamente o que é pagamento recorrente e como podem usá-lo para diminuírem suas taxas de inadimplência.

Sobre a Superlógica

A Superlógica desenvolve o software de gestão líder do mercado brasileiro para empresas de serviço recorrente. Somos referência em economia da recorrência e atuamos nos mercados de SaaS e Assinaturas, Condomínios, Imobiliárias e Educação

A Superlógica também realiza o Superlógica Xperience, maior evento sobre a economia da recorrência da América Latina, e o Superlógica Next, evento que apresenta tendências e inovações do mercado condominial.

Nova call to action

Compartilhar

Comentários

comentarios