coronavírus nos condomínios

Coronavírus nos condomínios: cuidados e meios de prevenção

Em 2020, o principal assunto das notícias e redes sociais é a pandemia causada por um novo tipo de coronavírus. Apesar de não ter uma taxa de letalidade muito alta, a capacidade de propagação dele é muito alta e rápida. Em vista disso, administradoras devem buscar se prevenir, bem como trabalhar para conscientizar sobre o potencial de impacto do coronavírus nos condomínios.

Com casos confirmados em mais de 155 países e regiões, o vírus já se espalhou tanto pelo mundo que o principal foco de propagação já não é mais a Ásia. No momento, a Europa é considerada o novo epicentro da doença. Países como Itália e Espanha entraram em quarentena total, suspendendo aulas e trabalho presencial.

Já no Brasil, cada vez mais casos surgem, principalmente em São Paulo e Rio de Janeiro, onde já se registraram casos de transmissão comunitária.

Os gestores de administradoras devem ter duas preocupações no momento: como viabilizar sua atividade de maneira segura e prezar pela saúde de seus colaboradores; e como auxiliar os condomínios na conscientização de seus moradores.

Para ajudar a enfrentar esse cenário, preparamos esse guia. Nele você verá:

  1. O que é o Covid-19?
    1. Como ocorre a transmissão do vírus?
  2. Por que se preocupar com o Covid-19?
  3. O cenário brasileiro e mundial
  4. Os sintomas
    1. Como são confirmados os casos suspeitos
  5. Meios de prevenção contra o coronavírus nas administradoras
    1. Home office é uma necessidade!
  6. Meios de prevenção contra o coronavírus nos condomínios
  7. Onde se informar sobre o Covid-19?

O que é o Covid-19?

Em meio a toda a comoção, o primeiro passo para se prevenir contra a doença é informar-se. E um dos elementos mais importantes é o mais básico, entender o que, de fato é o coronavírus.

Ele faz parte de uma grande família viral que já é conhecida desde 1960, estando atrelado principalmente a infecções respiratórias. Os mais conhecidos anteriormente eram os SARS-CoV e o MERS-CoV, que causavam doenças mais graves, como a pneumonia atípica grave.

O nome “coronavírus” vem da sua estrutura física, que lembra uma coroa. Os conhecidos, até hoje, são mutações das que já infectam animais, como morcegos, camelos e cobras. O primeiro descrito na década de 60 era derivado das alpacas.

Inclusive, uma das missões dos cientistas tem sido rastrear a origem animal do causador do Covid-19 (abreviação para “doença causada pelo coronavírus 2019”). Muitos suspeitos, como morcegos e pangolins, já entraram na lista, mas ainda sem uma descoberta definitiva.

Como ocorre a transmissão do vírus?

Apesar da origem, os animais NÃO passam a doença para humanos. Os vetores do vírus são outros humanos, que possui uma capacidade de propagação muito rápida. A transmissão ocorre através do contato com secreções, pelo ar ou pelo contato direto com objetos infectados. Por exemplo:

  • Tosse;
  • Espirros;
  • Catarro;
  • Gotículas de saliva;
  • Contato físico com pessoas infectadas;
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com olhos, nariz ou boca.

O ambiente de trabalho pode ser muito propício para o alastramento do vírus. Prédios e salas fechadas, com muito contato físico e compartilhamento de objetos, como folhas, canetas e demais materiais de escritório são potenciais meios de transmissão.

Ou seja, a atenção nas administradoras de condomínios deve ser redobrada. Uma solução imediata para evitar a infecção de funcionários é o home office. Sobretudo para quem utiliza uma plataforma de gestão em nuvem, como o Superlógica Condomínios, ficando mais fácil viabilizar o trabalho remoto.

Já nos condomínios, as interações diárias e esporádicas também têm seus riscos. Um exemplo são as assembleias, que acontecem em espaços fechados e aglomerando pessoas. Uma alternativa é colher os votos remotamente, como na Assembleia Virtual do Superlógica.

Por que se preocupar com o Covid-19?

No dia 11 de março, a Organização Mundial da Saúde declarou estado de pandemia mundial. Termo esse que deve ser usado com cuidado para não causar pânico além do necessário. A situação deve ser tratada com suas devidas proporções e preocupações.

Apesar da taxa de letalidade ser relativamente baixa, entre 2 e 3%, a situação não deve ser tomada como leve. Em grupos de risco, como idosos e doentes crônicos – como hipertensos e diabéticos -, as taxas podem ser substancialmente maiores. As taxas podem superar os 15% em indivíduos com mais de 80 anos.

Nos condomínios, deve-se prestar atenção especial a esses grupos, para que corram o menor risco de infecção possível. Faça o possível para orientar a gestão dos seus condomínios para conscientizar esses públicos sobre os riscos.

O cenário brasileiro e mundial

Já foram registrados mais de 180 mil casos confirmado no mundo inteiro, com China, Itália, Irã e Espanha registrando a maior parte dos casos. Alguns desses países, como Itália e Espanha, estão encarando uma quarentena nacional, com circulação limitada pelas cidades.

No Brasil, o número de casos confirmados chegou a 301, entre mais de 2 mil casos suspeitos. O primeiro registro de óbito em decorrência do Covid-19 aconteceu em 17 de março (terça-feira).

O impacto da situação também foi observado na economia mundial, com bolsas de valores de todo mundo registraram quedas significativas. De pequenos comércio a setores inteiros e o PIB de países, os reflexos são notáveis. A previsão é de que muitas empresas sejam afetadas pela situação atual. Na Alemanha, até foi lançado um plano de socorro a empresas e empregos ameaçados pelo coronavírus.

Os sintomas

O novo coronavírus pode causar infecções respiratórias graves, como pneumonias e insuficiência respiratória. O “período de incubação”, que é o espaço de tempo entre a infecção e a manifestação dos sintomas, varia de 2 a 14 dias.

Os sintomas mais comuns são:

  • Tosse;
  • Coriza;
  • Febre;
  • Dificuldade de respirar;
  • Entre outros sinais que são considerados pelo Ministério da Saúde (veja abaixo).

Em alguns casos, principalmente com crianças, não há manifestação dos sintomas. Ou seja, é uma boa opção limitar o contato delas com pessoas em grupos de risco.

Como são confirmados os casos suspeitos?

Atualmente, de todos os casos suspeitos no Brasil, 11% foram testados como positivos para a infecção do novo coronavírus. Ou seja, antes de se autodiagnosticar ou diagnosticar outros em desespero, é importante dirigir-se ao serviço de saúde mais próximo se apresentar sintomas mais graves.

Para evitar aglomerações e sobrecarga dos postos, o Ministério da Saúde tem diretrizes bem definidas para classificar pacientes como suspeitos ou prováveis. Veja os critérios no infográfico abaixo:

tabela coronavírus

Tabela de definições operacionais para examinar suspeitos de portar o coronavírus – Ministério da Saúde

Meios de prevenção contra o coronavírus nas administradoras

Assim como a maioria dos ambientes de trabalho, as administradoras de condomínios também precisam tomar suas precauções para evitar a contaminação de seus colaboradores.

Num geral, as dicas de prevenção são semelhantes para todos os espaços e lugares:

  • Lavar as mãos da maneira mais completa possível, idealmente por 20 segundos em cada lavagem;
  • Evitar aglomerações, principalmente em locais fechados;
  • Ao espirrar ou tossir, evite cobrir a boca e o nariz com as mãos. Use o antebraço para evitar a infecção de outras pessoas;
  • Mantenha cerca de 2 metros de distância se percebeu que há alguém apresentando os sintomas;
  • Limitar o contato com idosos e grupos de risco;

Além disso, existem alguns elementos que podem servir bem no contexto de empresas e, principalmente, na sua administradora.


Home office é uma necessidade!

A primeira e mais urgente é a viabilização do trabalho remoto. Com os limites entre locomoção nos espaços públicos e riscos de ficar em estabelecimentos fechados, o ideal é passar a força de trabalho para casa.

Aproveite alternativas que auxiliem nesse processo. Procure por programas e aplicativos de videoconferência para manter processos alinhados. Também, ferramentas de gestão de projetos são uma boa alternativa para que o trabalho siga um fluxo.

Para a operação administrativa e financeira da empresa, a melhor opção será um software de gestão hospedado na nuvem. Com isso, você e seus funcionários poderão acessar as informações necessárias mesmo trabalhando de casa.

Meios de prevenção contra o coronavírus nos condomínios

Além de tudo, administradoras de condomínios precisam se preocupar com seus clientes. Auxilie a gestão do empreendimento a conscientizar moradores sobre os riscos e importância de prevenir-se contra o vírus.

Confira uma série de dicas:

  • Conscientize sem causar pânico: preze pela objetividade e cuidado com as informações;
  • Sugira ou financie a instalação de dispensers de álcool em gel no condomínio: o ideal é ter álcool em gel disponível em diferentes blocos ou andares dependendo do condomínio;
  • Estimule a ajuda comunitária: idosos e doentes crônicos correm muito risco ao saírem de casa. Estimule que as pessoas os ajudem a abastecer mantimentos, comprando ou recebendo entregas;
  • Espalhe avisos: nem todo mundo olha e-mails ou mensagens no celular. Espalhe avisos nos murais e paredes, como alertas de sintomas e indicações de boas práticas de higiene para evitar a contaminação;
  • Limpe e limite o acesso às áreas comuns: não é indicado aglomerar pessoas, ou seja, limite o acesso às áreas comuns do condomínio, como piscinas e salão de festas;
  • Atenção com as crianças: em muitos casos crianças sequer apresentam sintomas, apesar de carregarem o vírus. Assim, elas podem ser vetores de transmissão para grupos de risco. Alerte os pais e responsáveis para limitar o contato delas com parentes mais idosos, por exemplo;
  • Realize assembleias remotamente: a propagação mundial do vírus aconteceu no período em que se costuma realizar as Assembleias Gerais Ordinárias. Limite os eventos presenciais e a sugira que a votação de pautas seja feita virtualmente, como na Assembleia Virtual disponibilizada no Superlógica Condomínios;
  • Estabeleça canais de comunicação diretos: se há um caso suspeito no condomínio, todos os moradores devem ser alertados. Utilize os canais de comunicação mais efetivos para comunicá-los – mesmo se o melhor for um bilhete passado por baixo da porta.

Onde se informar sobre o Covid-19?

Neste momento delicado, munir-se de informações é crucial para que a curva de transmissão do vírus não cresça. Da mesma maneira, é preciso combater o compartilhamento de fake news.

Este último é crucial, afinal a informação falsa pode causar pânico infundado ou diminuir a urgência sobre ações necessárias. Um exemplo é o que ocorreu no Irã, um dos países mais afetados pela pandemia, em que uma notícia falsa foi responsável pela morte de 44 pessoas.

Sobre a Superlógica

A Superlógica desenvolve o software de gestão líder do mercado brasileiro para empresas de serviço recorrente. Somos referência em economia da recorrência e atuamos nos mercados de SaaS e Assinaturas, Condomínios, Imobiliárias, Escolas e Cursos.

New call-to-action

Compartilhar

Comentários

comentarios