“Experts de contabilidade diziam que não ia conseguir criar a Contabilizei”, diz Vitor Torres

Subscribe on Android

A contabilidade é um mercado consolidado no Brasil há muitos anos. Mas isso não significa que ele está estagnado. Muito pelo contrário, ele não para de crescer. De acordo com dados do Conselho Federal de Contabilidade, CFC, de 2004 até 2016, o número de profissionais que atuam na área aumentou aproximadamente 66%, saltando de 359 mil para 539 mil. O número de organizações que atuam no setor (Sociedade, Empresário Individual, MEI e EIRELI) aumentou entre 2014 e 2016, saltando de 45.348 para 57.900.

Se depender dos ânimos do mercado, o número só tende a aumentar. De acordo com pesquisa realizada em 2016 pela Robert Half, empresa de recrutamento, as profissões relacionadas às áreas de finanças e contábeis estavam entre as que teriam maior possibilidade de crescimento salarial. De acordo com dados do CFC, são ao todo mais de 300 mil alunos matriculados em cursos relacionados a ciências contábeis.

Tudo isso se relaciona principalmente ao tamanho da complexidade burocrática tributária no Brasil. De acordo com estudos da Stefanini, empresa de tecnologia, 1 em cada 200 funcionários trabalha na área contábil no país. Na Europa essa relação é de 1 para 500 e nos Estados Unidos de 1 para 1 mil. Isso faz com que, no Brasil, as empresas gastem 1958 horas por ano para cumprir todas as obrigações do Fisco, segundo Banco Mundial, maior tempo de todos os 190 países da relação. Assim, as empresas acabam perdendo 1,5% do faturamento anual, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), com investimento em mão de obra e infraestrutura para comportar isso.

A contabilidade na nuvem

Uma das pessoas que acabou sofrendo os problemas da burocracia e de se lidar com o serviço de contabilidade foi Vitor Torres. “Eu senti na pele a dor de contratar um serviço de contabilidade. Essa dor não era só minha”, comentou. “Todo mundo com quem eu conversava achava que os serviços eram caro, não tinham o trato que eles queriam e não tinha uma cara de serviço tecnológico”.

Nova call to action

Assim, em 2011, surgiu a ideia da Contabilizei: um escritório de contabilidade na nuvem que atende PMEs em larga escala. A empresa começou a operar em 2013 e, desde lá, Vitor se mantém como CEO. “A Contabilizei nasceu muito do impossível. Experts do mercado diziam que não ia conseguir. Precisei ir pra frente e colocar a cara a tapa”, explicou. “Fiquei 3 meses inteiros dentro de um escritório de contabilidade para saber como funcionava e descobrir quais processos poderiam ser melhorados. Perdi um bom tempo e fiquei sem colocar dinheiro em casa por isso. Hoje vale a pena”.

Pouco a pouco, a empresa continua crescendo. Em 2013, começou com três funcionários (Vitor, Fábio Bacarin, sócio e CTO, e Heber Dionizio, contador responsável pela empresa). Em 2014 esse número era de 8, em 2015 era de 35, em 2016 de 50, em 2017 de 98 e em 2018 de 200. Ao todo, a empresa atende mais de 5 mil clientes – a média de um escritório de contabilidade tradicional é de 87 clientes diferentes.

Isso só é possível por causa do investimento pesado da empresa em melhorias da equipe e da infraestrutura. “Tudo que a gente recebe a gente investe em tecnologia. Antes de ser uma empresa de contabilidade, somos uma empresa de tecnologia”, comentou Vitor. “Com esse investimento, ganhamos em eficiência e melhoramos a nossa automação. Outro grande pilar da nossa empresa é o atendimento. Para isso, desenvolvemos as pessoas para que elas consigam prestar um serviço melhor para os nossos clientes”.

Com essa excelente fórmula de atendimento, fazer o marketing para a empresa se torna mais fácil. “80% do nosso crescimento é feito através do boca a boca”, explicou. “O produto crescer de forma orgânica é o sonho de todo empresário! Ele sempre tem de buscar uma fórmula onde cliente indica cliente”.

A transformação digital no mundo da contabilidade

Vitor tem um passado empreendedor muito grande para conseguir ter sucesso com a empresa. No seu passado, ele criou a MindOn (empresa de treinamento para liderança) e a Supernova, uma aceleradora de negócios digitais. Da Supernova, surgiu a Contabilizei. “É muito bacana refletir sobre a origem do nome Supernova”, lembrou. “Ele significa a morte de uma estrela. A energia que é gerada através dessa explosão é maior do que toda a energia que o Sol gera por toda a vida. Através disso, são geradas outras milhares de estrelas. Eu gosto de dizer que a Supernova (aceleradora) precisou explodir para gerar uma nova estrela, que é a Contabilizei”.

Com todo esse processo,  a Contabilizei vai fazendo uma pequena revolução. Através do atendimento em escala e na nuvem, a empresa vem mudando e trazendo mais efetividade para o mercado contábil. Mas se engana quem pensa que esta é uma tendência apenas brasileira, é mundial. De acordo com o estudo da Oxford, uma das profissões que tem uma grande possibilidade de desaparecer na próxima década é a de contador na área de impostos com 97% de chances de ser substituída por robôs.

Vitor acredita que isso pode ser muito bom para a população. “A tecnologia vem para transformar os processos em algo mais eficiente”, lembrou. “Cada vez mais vão aparecer serviços com mais valor agregado e com custo menor. E, fiquem tranquilos, não precisamos nos preocupar: vai ser muito difícil achar uma máquina que tenha a capacidade de substituir o potencial humano. Elas vão servir para agregar e aumentar o poder de estratégia e da nossa inteligência”.

Para ele, o escopo do trabalho dos contadores vai mudar. “A contabilidade vai se transformar em uma linha de consultoria e geração de inteligência para o empresário”, opinou. “Com o trabalho manual automatizado, o contador vai ter um conhecimento muito mais amplo da situação da empresa e vai poder pensar de forma mais assertiva”.

Isso já é possível com a Contabilizei. Hoje eles atendem com um preço menor que o cobrado no mercado e, por ser digital e automatizada, a segurança das informações dos clientes acaba se tornando muito maior. “A gente consegue deixar o cliente legal, garantimos padrões e efetividade muito maiores que o trabalho humano”, afirmou. “Todas as informações são corretas, pois fazemos em escala. Nosso background tecnológico possibilita essa acuracidade”.

Vitor é um dos palestrantes do Superlógica Xperience 2018, maior evento de assinaturas e SaaS da América Latina. Amanda Camasmie, líder de marketing da Superlógica, e Heitor Facini, redator do blog da Superlógica, bateram um papo com ele sobre a criação e o crescimento da Contabilizei.

Ele participa do décimo terceiro episódio da segunda temporada do Podcast do Xperience, que vai ao ar toda a quinta-feira até a data do evento. Não se esqueça de se inscrever no nosso Soundcloud e no iTunes, para receber com antecedências as novidades do podcast Semana que vem a entrevista será com Fábio Túlio Felippe, CEO da Jiva, e Valério Ferreira, CEO da W12, sobre o mercado de ERPs.

Podcast #Xperience S02E13 – Vitor Torres

O que você vai ouvir neste podcast:

1:20 – Vitor Torres conta como o treinamento militar ajudou ele a entrar no mundo do empreendedorismo;

2:05 – “Se as pessoa não te seguem, elas vão apenas executar ordens, não cumprir algo com coração e seguir seus passos”;

3:23 – Vitor explica como foi o empreendimento com a MindOn, empresa voltada ao mercado de treinamentos de lideranças;

5:11 – Ele foi um dos criadores da Supernova, uma aceleradora de startups, e explica como foi o processo;

6:20 – “A Supernova foi uma grande oportunidade de aprendizado, mas teve que acabar para que surgisse a Contabilizei”;

7:52 – “A Contabilizei nasceu do impossível”;

11:18 – Vitor sentiu na pele a dor de contratar um serviço de contabilidade e percebeu que outros empresários, amigos dele, também tinham essa dor;

12:00 – Ele passou 3 meses imersos dentro de um escritório de contabilidade para entender tudo que um contador fazia antes de começar a Contabilizei;

13:34 – O dinheiro que entra na Contabilizei é reinvestido em tecnologia e atendimento para que os processos melhorem com o passar do tempo;

15:00 –  A Contabilizei cresceu de 3 a 200 pessoas em apenas 5 anos;

15:40 – 80% do crescimento da companhia é feita com base no boca-a-boca;

16:50 – Com a transformação digital, a gente consegue ofertar cada vez mais serviços de qualidade a um preço justo;

17:30 – “Acho muito difícil encontrar uma máquina que vai substituir todo o potencial que o ser humano tem”;

18:39 – Segundo ele, os postos de trabalho vão se mover para um caminho de geração de valor com mais inteligência e deixou de lado o trabalho manual;

20:24 – Por atender mais de 5 mil clientes, a Contabilizei oferece uma acuracidade na transmissão das informações;

21:00 – Vitor explica como foi participar do Fórum Econômico da América Latina;

23:06 – “Todo mundo tem que entender qual é de fato o problema que quer resolver”;

Confira todos os nossos episódios!

Nova call to action


Compartilhar

Comentários

comentarios