Com casos de dengue em alta, saiba qual é o papel do condomínio e seus representantes no combate à doença

Somente neste ano, seis pessoas morreram de dengue no Brasil

Por: Grupo Superlógica< 1 Minuto de leituraEm 25/04/2024Atualizado em 25/04/2024

Campinas, 8 de fevereiro de 2024. O Brasil bateu recorde de mortes por dengue em 2023. Segundo dados do Ministério da Saúde, foram 1.094 óbitos de janeiro a dezembro. No início deste ano, apenas em São Paulo, os números já são alarmantes: seis mortes até o momento e outros 61.873 casos prováveis.

A Superlógica – plataforma completa de tecnologia e finanças para os mercados condominial e imobiliário – ressalta que, nos condomínios, o síndico e o administrador exercem um papel fundamental no combate à doença. 

O primeiro passo é instruir os colaboradores de serviços gerais sobre os cuidados que devem ser tomados, como manter as lixeiras sempre limpas, recolher objetos que possam acumular água, manter a frequência do corte da grama, se atentar à limpeza da piscina e do poço do elevador.

Outro ponto importante é sobre a visita de agentes comunitários de saúde ao condomínio. O responsável deve permitir o acesso, acompanhar a fiscalização e fornecer todas as informações necessárias. Além disso, é responsabilidade do condomínio conscientizar os moradores sobre a importância dos cuidados dentro dos apartamentos. Essa orientação pode ser feita por meio de comunicados em aplicativos, mensagens nas ferramentas de comunicação do prédio e, se possível, reforçada em reuniões.

Dentro das unidades, é importante manter os espaços, como sacada, varanda e terraço sempre limpos, não deixar água parada, cuidar dos vasos de plantas, entre outros.

Leitura Recomendada