Como a Baggio Imobiliária está lidando com a pandemia do COVID-19?

Como a Baggio Imobiliária está lidando com a pandemia do COVID-19?

A Baggio Imobiliária é uma tradicional imobiliária curitibana que hoje em dia emprega mais de 50 colaboradores. Assim como todo mundo, eles foram pegos de surpresa pela quarentena preventiva, por novas medidas de home office e por uma forte desaceleração na economia que afetou diretamente o mercado imobiliário. Confira neste case como a Baggio está enfrentando os desafios e inspire-se!

Conheça mais sobre a Baggio

A Baggio imóveis está há mais de 30 anos no mercado imobiliário. Ela surgiu em 1987 como uma empresa familiar no oeste de Curitiba e cresceu e se modificou ao longo dos anos. Cada vez em busca de mais inovações, ela passou a criar novas oportunidades e processos no mercado imobiliário. Sua intenção sempre foi dar as melhores chances e negócios para clientes, parceiros e corretores. 

Como resultado, hoje ela está entre as imobiliárias mais lembradas de Curitiba com uma equipe de mais de 50 colaboradores. Ela também é associada à Câmara de Valores Imobiliários e ao SECOVI e possui o Selo Platina do PEQI (Programa Excelência da Qualidade Imobiliária). 

Sempre pensando em cada parte envolvida no processo, a Baggio também faz parte da Rede Imóveis. Ou seja, uma rede que reúne imobiliárias na região de Curitiba para que todas consigam trazer o melhor para seu cliente. 

A ideia de solidariedade e união permeia essa empresa, como você logo perceberá. Como será que eles estão enfrentando o momento atual da economia? É que você vai ver agora. 

Quais são as ações para prevenção contra o Coronavírus que já foram tomadas?

As medidas de quarentena já afetaram boa parte do País, inclusive a imobiliária Baggio. Seus colaboradores estão trabalhando de casa na medida do possível, mas o diretor da empresa, Leonardo Baggio, conta que está pensando em medidas emergenciais, pois o movimento na imobiliária caiu drasticamente como resultado da situação social e econômica do País. 

“Estamos estudando uma ação de ajuda de custo para os corretores que estão ociosos, pois estamos cientes da situação e sabemos que é por um período indeterminado, sendo um grande desafio para nós”, diz Leonardo.

Felizmente a direção da Baggio teve ação rápida frente à pandemia do COVID-19. Assim que a equipe percebeu que a crise era inevitável, já começaram a tomar medidas para iniciar o home office. Logo parte da equipe estava em casa. Hoje 100% das operações já são home office para a maior proteção dos colaboradores e clientes. 

A experiência home office da Baggio

O trabalho home office não era completamente desconhecido para a Baggio, pois os cargos de gestão já trabalhavam dessa forma. No entanto, foi preciso adaptar as práticas para que o restante da empresa conseguisse funcionar. 

O diretor compara o choque de perceber que a quarentena preventiva seria necessária com outra crise pela qual já passaram. 

“Quando mudamos nossa sede precisamos ficar dois dias sem telefone e internet. É uma situação que é 10% do que a gente vai ver ou está vivendo hoje, mas lembrei disso porque hoje em dia sem internet e telefone acaba a empresa.”, conta Leonardo. Ele lembra que na época a equipe parecia perdida e sem rumo, algo que tem acontecido agora.

O diretor ainda afirma que o fácil acesso à informação pode criar um clima de insegurança e incertezas, mas que a Baggio está determinada a manter a serenidade. 

“É o nosso papel como líder.”, afirma o diretor que tenta passar calma e certeza para seus colaboradores. 

Quais foram os principais desafios do home office?

Apesar de implementar o home office não tenha sido problema, a Baggio ainda encontrou certas dificuldades. Alguns dos colaboradores não possuíam estrutura para trabalhar de casa, como falta de uma internet ou computador eficientes, por exemplo. 

Além disso, a empresa precisou implementar ferramentas de pagamento digital e atendimento ao cliente online com mais antecedência. Isso já estava nos planos da Baggio, mas para o futuro próximo, não para agora. 

Alguns clientes também foram afetados, especialmente aqueles mais velhos que gostavam de ir até a imobiliária. Agora, ao invés de receber um cheque presencialmente, precisarão se adaptar ao depósito. 

Para a equipe é uma grande perda não poder interagir com os clientes e tomar o tradicional cafezinho juntos, mas a Baggio está fazendo de tudo para oferecer o melhor atendimento digital possível. Todos os canais de comunicação estão abertos para os clientes, incluindo e-mail, WhatsApp, telefone, aplicativo e chat no site. 

O que a Baggio espera desse período de quarentena?

O medo de inadimplência também afeta a Baggio e espera-se que a taxa aumente entre 20% e 80%. É um momento bastante delicado em que locatários de locações residenciais e comerciais precisam encerrar seus contratos ou pedir negociação. Afinal de contas, sem renda é impossível pagar o preço inicialmente combinado do aluguel. 

Para a direção da Baggio é momento de trabalhar a humanidade. 

“A gente vai sair bem mais forte desta crise. Vamos aprender a ser mais fraternos, mais humanos e mais solidários e valorizar o que tem que ser valorizado.”, afirma Leonardo.  

Ele também conta que sua equipe está sendo treinada para trabalhar as negociações da melhor forma possível. Para ele, é momento de usar a humanidade e chegar em um acordo que não prejudique qualquer uma das partes. 

É um exemplo realmente inspirador que nos ajuda a entender como imobiliárias estão lidando com a crise e quais são as novas perspectivas para o futuro. E a sua imobiliária, como está lidando com a pandemia do COVID-19?  

Compartilhar

Comentários

comentarios