Mensalidade escolar: vantagens e desvantagens de receber por boleto

Instituições de ensino precisam ter definidos quais serão os meios de pagamento disponibilizados aos pais. Diversificar as possibilidades é uma vantagem competitiva para a captação de novos alunos.

Exclusivamente brasileiro, o boleto bancário se popularizou por atender a parcela desbancarizada (sujeitos que não possuem vínculo com uma instituição bancária) do público economicamente ativo nacional. 

Apesar de ser o método mais utilizado no setor educacional, quais são as reais vantagens em cobrar a mensalidade escolar por boletos? E quais são as desvantagens? Respondemos a estas perguntas (e muito mais) neste artigo!


Panorama do boleto bancário no Brasil

O boleto de cobrança tem mais de meio século de existência, mas opera com código de barras da maneira como conhecemos há quase 30 anos.

Sua popularização se deu pela alta quantidade de cidadãos adultos desbancarizados no Brasil. Afinal, não é necessário possuir uma conta para quitar os títulos, basta levá-los em qualquer agência ou posto de serviço bancário.

Atualmente são cerca de 60 milhões de brasileiros adultos nessa condição, uma parcela que representa mais de um quarto da população, segundo o Instituto Data Popular. Estima-se que este grupo movimenta cerca de 655 bilhões de reais, anualmente, ou seja, o que corresponde a 10% do PIB.

Com o passar do tempo, porém, o processo de liquidação dos boletos tornou-se obsoleto. Não havia uma atualização na plataforma desde a década de 1990, o que expunha as transações para fraudes e malwares.

Para combater as ações criminosas e oferecer mais segurança, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) anunciou a implantação da Nova Plataforma de Cobrança e dos boletos registrados.

A Febraban estima que em 2019 sejam emitidos cerca de 6,6 bilhões de boletos, com base nos dados do primeiro trimestre do ano. Também calcula-se, que com o da modalidade, reduziu-se a necessidade de saque de dinheiro em espécie num total de R$ 5,1 bilhões.

Qual foi o impacto do boleto registrado para as escolas

A implantação do boleto registrado trouxe uma série de mudanças na gestão das receitas para as instituições de ensino.

Se por um lado há uma maior segurança em relação às fraudes (a Febraban estima que 450 milhões de reais em serão salvos ao ano), o custo da emissão ficou mais alto. Assim, algumas escolas e cursos começaram a acrescentar esta despesa ao valor da mensalidade.

Os pais e alunos, no entanto, ganharam mais comodidade e confiança. Por exemplo, como o boleto está registrado na Nova Plataforma de Cobrança, não existe mais a possibilidade de pagamentos duplos. Se há a tentativa de quitar uma mesma fatura pela segunda vez, o sistema gera um alerta para impedir a ação.

Agora, as instituições financeiras podem conferir os dados dos documentos emitidos por outras. O resultado disso é a possibilidade de pagar títulos vencidos em qualquer banco.

Vantagens de cobrar a mensalidade escolar por boleto

Disponibilizar o boleto bancário como meio de pagamento da mensalidade escolar é praticamente mandatório para qualquer escola. Além de ser o método mais utilizado, há uma série de vantagens em oferecer essa alternativa aos pais.

Atendimento a todos os públicos

Como o citado mais acima, o Brasil possui uma grande população de desbancarizados. Por atender a esse grupo, o boleto é uma das formas mais democráticas de realizar cobranças. 

Além de atender uma fatia economicamente ativa que movimenta uma parcela relevante do PIB brasileiro, e que está dividida entre todas as classes (11% nas classes mais altas, 48% na média e 37% nas classes mais baixas).

Tarifas tradicionalmente menores do que a dos cartões de crédito

Apesar do aumento no custo, a emissão destes títulos ainda costuma ser mais barata do em relação às taxas dos cartões de crédito. A tarifa de, tradicionalmente, 3% tem um impacto imenso na receita de uma instituição de ensino devido aos valores das mensalidades. 

Porém, esta já está deixando de ser uma vantagem, afinal o Superlógica Educacional permite a cobrança recorrente via cartão de crédito com tarifa fixa, semelhante à do boleto.

Negociação de dívidas e tarifas

Por ser mais facilmente customizável do que a cobrança por cartão, fica mais simples negociar com os bancos as taxas de emissão. Dentro do aspecto da negociação, também é mais simples fazê-lo diretamente com os pais que atrasaram em seus vencimentos.

Valor em conta mais rapidamente

Diferente dos pagamentos por cartão, que levam 30 dias para cair na conta, pelo boleto a quantia é disponibilizada na conta da escola em poucos dias úteis após a quitação da fatura. Isso gera fluidez imediata no caixa, algo ideal para tratar eventuais gastos de emergência.

Desvantagens de cobrar a mensalidade escolar por boleto

Da mesma maneira que tê-lo como opção oferece uma série de retornos positivos, existem algumas desvantagens em sua aplicação. 

Primeiramente, há o aumento no uso do cartão de crédito nas cobranças recorrentes, incluindo mensalidades escolares. Soma-se, também, o surgimento de novos métodos de pagamento.

Veja as demais desvantagens.

Maiores taxas de inadimplência

Tradicionalmente, os boletos têm uma taxa de inadimplência maior se comparados aos demais meios de pagamento. Isso acontece por conta da necessidade de realizar uma ação para efetuar o pagamento da fatura, enquanto para cartões, por exemplo, a cobrança é feita automaticamente.

Esse problema pode ser minimizado utilizando uma régua de cobrança, como a oferecida nos softwares de gestão.

Gestão de segunda via

Outro problema comum é a necessidade de emitir segundas vias de documentos vencidos ou perdidos. Muito tempo do atendimento aos pais e alunos pode ser perdido nessa tarefa. 

Uma possibilidade seria a escola oferecer um canal de autoatendimento, por telefone ou aplicativo. Ainda assim, será necessário lidar com os pais e alunos que não sabem ou não querem usá-los.

Maior custo sobre o erro

Ocasionalmente, são enviados boletos com cálculos errados. Quando isso acontece, além do risco de gerar atrito com quem paga a mensalidade, será necessário emitir um novo título.

Ademais, com o aumento do preço para gerar as faturas, o custo desses erros aumentou consideravelmente. Dependendo do banco, a tarifa por lâmina pode chegar a R$ 10,00 (dez reais).

Protesto automático

O protesto acontece quando uma instituição notifica à justiça que determinado pagamento foi efetuado. Porém, com o advento do boleto registrado, os bancos têm acesso às informações da cobrança e podem iniciar esse processo automaticamente.

A inadimplência pode ocorrer por diversos motivos (incluindo dificuldades financeiras). Os pais podem ficar desgostosos por terem seus nomes negativados nos órgãos de restrição ao crédito, e isso pode ferir seus relacionamentos com a escola.

Enfim, a cobrança da mensalidade escolar via boleto já está naturalizada nas instituições de ensino. Mesmo assim, é importante conhecer os impactos positivos e negativos que esse meio de pagamento tem em seu caixa.

Sobre a Superlógica

A Superlógica desenvolve o software de gestão (ERP) líder do mercado brasileiro para empresas de serviço recorrente. Somos referência em economia da recorrência e atuamos nos mercados de SaaS e Assinaturas,Condomínios, Imobiliárias e Educação.

A Superlógica também realiza o Superlógica Xperience, maior evento sobre a economia da recorrência da América Latina, e o Superlógica Next, evento que apresenta tendências e inovações do mercado condominial.

Nova call to action

Compartilhar

Comentários

comentarios