Os motores de Crescimento da VTEX: cultura, formação de time e estrutura organizacional

Uma das melhores maneiras de conseguir alcançar o sucesso no mercado é aprendendo com quem já chegou lá. Entender a trajetória de quem já passou pelo que você está passando agora ajuda a expandir o seu pensamento para conseguir superar os desafios.

Um dos grandes exemplos dentro do ecossistema de SaaS no Brasil é com certeza a VTEX, plataforma global de cloud commerce. “A nossa missão é criar a melhor plataforma do ecossistema de e commerce do mundo todo”, comentou Alexandre Bonati, um dos sócios e head de Customer Success da empresa. “Eu sei que o nosso objetivo é muito ousado, mas o sonhar pequeno e o sonhar grande consomem a mesma quantidade de energia”.

Alexandre acredita que uma das maneiras de atingir sucesso é fomentar o ecossistema nacional. “Se existe receita para sucesso, a gente não sabe. Mas tem uns ingredientes essenciais que percebemos na VTEX”.

Para ajudar quem também quer crescer, ele apresentou a palestra “Os motores de Crescimento da VTEX: cultura, formação de time e estrutura organizacional” no Superlógica Xperience 2017. Se você quiser conferir como foi é só rodar o vídeo abaixo:

A trajetória da VTEX

Se engana quem pensa que a VTEX já começou como uma empresa SaaS voltada para e-commerce. “Na verdade, a empresa nasceu como um CRM feito para o mercado têxtil em 1999”, comentou Alexandre.

A relação com o mundo do e-commerce começa em 2001. “Um dos nossos clientes pediu para a gente criar uma plataforma de ecommerce para eles. Como a gente já estava envolvido com o mercado de tecnologia, entramos nisso”, explicou Alexandre.

O próximo passo foi quando eles entraram para o modelo SaaS, software como serviço, em 2005. “Naquela época, o ecossistema não estava tão fomentado como está hoje”, lembrou Alexandre. “Era difícil de gerar capital e complicado para conseguir investimento. Por exemplo, aqui no Xperience vai ter um painel que vai discutir investimentos em empresas SaaS no qual os participantes vão falar o que procuram em uma empresa para aplicar o dinheiro. Isso era inimaginável na época”.

Nova call to action

Por fim, hoje em dia, após expandir a empresa para 11 países, a empresa recebeu uma premiação para tanto esforço: entrou para o quadrante mágico do Gartner. O Gartner é uma empresa que realiza consultorias que analisam qualitativamente o mercado de tecnologia, de acordo com direção e maturidade do participantes. O quadrante mágico avalia visão de negócios, presença global, carteira de clientes e índice de satisfação dessas empresas, seleciona 20 e as posiciona em 4 categorias: líderes, desafiadores, inovadores e concorrentes de nicho.

A VTEX é a única empresa da América Latina a entrar na lista, ao lado de gigantes como a Salesforce, Oracle, SAP e IBM. Ela foi colocada na última categoria – concorrentes de nicho.

Crescimento em momento de crise

O Brasil nos últimos anos vem enfrentando dificuldades na economia como um todo. Em 2016, o PIB caiu 3,6% de acordo com dados do IBGE. Foi o segundo ano seguido com recuo já que em 2015 a queda foi de 3,8%.

Mas, mesmo nesse cenário desanimador, a VTEX conseguiu crescer. “Por incrível que pareça, a gente acabou se saindo melhor mesmo com tudo desfavorável”, comentou Alexandre. “Foi o ano que tivemos o maior crescimento na nossa história recente com alta de 56%”.

Mas não foi pura sorte, foi resultado de muito trabalho pesado. A empresa registrou 11 mil deploys e totalizou 123 serviços entregues em sua plataforma. Hoje atendem mais de 2 mil lojas virtuais no mundo todo.

O que mais chama atenção é a robustez que o sistema apresentou durante a black friday. A plataforma da VTEX registrou 589 pedidos por minuto sem apresentar instabilidade.

A cultura do intraempreendedorismo da VTEX

A VTEX, em comparação aos outros players no mercado SaaS brasileiro, tem uma ideia diferente de contratações. “Não escalamos tanto quanto a empresa escala. Por isso mantemos até hoje uma equipe enxuta para o tamanho da empresa, com 250 funcionários espalhados pelo mundo”, comenta Alexandre.

São diversas unidades com autonomia própria para tomar as próprias decisões. “O problema de empresas tradicionais é que as áreas principais não conseguem tomar decisões sozinhas. Sempre precisam pedir autorização, seguir um procedimento burocrático e acaba diminuindo a eficiência”, comentou. “Cada área tem a própria autonomia financeira para saber como seguir”.

O problema da autonomia e como a VTEX resolveu

“O único problema é que isso faz com que o funcionário consiga pensar muito bem no micro, mas nem tanto no macro”, explicou. Os funcionários acabam instintivamente sendo muito eficientes na área de atuação mas acabam não caminhando em conjunto com o resto da empresa.

Para driblar isso, a VTEX pensou em algumas soluções:

  • Remuneração variável de acordo com o desempenho coletivo e não individual: o time de vendas não tem comissão e recebe apenas um bônus anual de acordo com os resultados da empresa;
  • Comissão anual para alinhar diretrizes: uma vez ao ano a VTEX reúne todos os funcionários de todas as equipes em um hotel para orientar objetivos anuais e estimular engajamento;
  • Demo Fridays: serve como uma prestação de contas para empresa. Mostra em quais projetos estão trabalhando e como vem fazendo. Aproxima as mais diversas áreas;
  • VTEX Day: fomenta o ecossistema e ao mesmo tempo deixa todo mundo coeso em busca de um objetivo maior – fazer que o evento dê certo.

Linha do tempo da VTEX

  • 1999 – Criada como um CRM para o mercado têxtil
  • 2001 – Primeira plataforma de ecommerce criada
  • 2005 – Primeiro cliente usando o modelo SaaS
  • 2007 – Vendem o sistema para o Walmart. Era para ser uma solução paliativa, mas eles ficaram até 2014.
  • 2009 – Aquisição da empresa BigWeb
  • 2010 – Mudam toda a empresa para o modelo SaaS
  • 2010 – Aquisição da empresa de ecommerce WX7
  • 2011 – Investimento da Naspers
  • 2012 – Expansão global, começando pela Argentina
  • 2013 – Aquisição da Loja Integrada
  • 2014 – Aquisição da Primordia
  • 2015 – Troca de Investidor: sai Naspers e entra Riverwood
  • 2015 – Marca de 1300 clientes em mais de 10 países
  • 2016 – Abertura da operação na Europa e Estados Unidos
  • 2017 – Entrada no quadrante mágico da Gartner



Compartilhar

Comentários

comentarios