Por que adotar um ERP Recorrente e não um Gateway de Pagamento

Um dos principais desafios de qualquer empresa que cobra mensalidades ou vende planos de assinaturas é a forma como vai gerenciar os pagamentos recorrentes. A primeira coisa que você precisa saber é que um sistema de gestão financeira tradicional não vai resolver o seu problema – na verdade vai aumentá-lo.

Surgem duas soluções para você: adotar um ERP recorrente ou um gateway de pagamento. Mas, afinal, qual é a melhor? A resposta certa está relacionada a vários fatores ligados ao controle do seu negócio. O ERP recorrente resolve todos os seus problemas de gestão financeira, já o gateway não. Mas quando é melhor usar cada um? Entenda nas próximas linhas. 

O que é um ERP recorrente?

O ERP recorrente é um sistema de gestão administrativa voltado para empresas que realizam cobranças recorrentes, como assinaturas ou mensalidades. É o caso, por exemplo, de imobiliárias, condomínios, escolas, clubes de assinatura e empresas de comunicação visual.

Empresas que estão inseridas na economia da recorrência têm características muito particulares que se diferem das tradicionais. Nesse caso, eles não vendem mais um produto para um cliente. O que é comercializado é o “acesso” a um serviço específico que vai solucionar alguma dor do usuário.

A lógica financeira da empresa também vai mudar nesse modelo. Em vez de receber tudo de uma vez em uma venda única, o valor entrar no caixa da empresa em quantidades menores, mês a mês. No início, o dinheiro é menor, mas, ao mesmo tempo, você cria uma previsibilidade de receita. Quanto mais sucesso o cliente tiver na sua solução, mais tempo ele continua na sua base e maior o lucro que ele irá te trazer.

O que é um gateway de pagamento?

O melhor paralelo possível de se fazer para entender o que é um gateway de pagamento é com uma maquininha de cartão de crédito de um comércio físico. É a interface que transmite os dados dos clientes diretamente para as instituições bancárias.

Ela não controla o dinheiro, confere o lastro do pagamento e nem repassa os valores para os clientes. A função é servir como um canal de comunicação e transmissão das informações. Apenas isso.

Assim, a empresa que vai comercializar o acesso ao serviço não vai ter contato direto com os dados bancários dos clientes. As informações são criptografadas pelo gateway e enviadas diretamente ao banco. A empresa só recebe a resposta da transação (aceita ou negada) e reage conforme a ela.

O ERP recorrente é muito mais completo que um gateway de pagamento

Tanto gateway de pagamento quanto ERP te permitem realizar as cobranças recorrentes de diversas formas, como através de cartões de crédito e boletos bancários. Mas, as funcionalidades do gateway acabam por aí.

O ERP recorrente vai permitir você realizar a gestão financeira completa da sua empresa, acompanhando o cliente durante toda a jornada de compra e gerando relatórios personalizados.

Nova call to action

Quando é melhor usar um gateway de pagamento?

Se a sua empresa está engatinhando, é melhor adotar o gateway de pagamento. Como ele só foca em cobranças e a sua empresa ainda não tem uma quantidade de dados financeiros consideráveis para gerenciar, o gateway pode resolver a princípio.

O que é preciso analisar são as taxas extras cobradas nas transações. Faça uma pesquisa sobre esses valores antes de adotá-lo.

Se o seu negócio crescer rapidamente – e essa é a proposta de um negócio recorrente – você precisará logo de uma solução mais completa, que dê um panorama de tudo o que está acontecendo – desde vendas até cancelamentos e inadimplência.

O ERP integra todas as ações financeiras da sua empresa

Com o ERP, isso não será um problema. Todos os dados financeiros estão em um lugar só, logo a operação será muito mais segura e eficiente.

Além disso, os seus custos como um todo vão acabar diminuindo. Afinal, você terá apenas um sistema para ser operado e, consequentemente, vai poupar tempo em implantação e treinamento de funcionários.

Os seus esforços que iriam para a integração e desenvolvimento também podem ser melhor investidos em outras áreas.

No ERP recorrente você pode medir a sua empresa de ponta a ponta

Um dos principais desafios de um negócio recorrente é lidas com as métricas. Um sistema de gestão, por englobar toda a área financeira da sua empresa e conseguirá acompanhar os indicadores mais importantes.

Você consegue medir, por exemplo:

  • Taxas de cancelamento (e de onde vem);
  • Receita recorrente mensal;
  • Taxa de crescimento;
  • Migrações;
  • Novos clientes;

Não sofra mais por conciliação bancária

Uma das coisas que tomam mais tempo e demandam maior atenção de toda as empresas é a conciliação bancária. O ato de conferir o extrato bancário com o controle financeiro interno normalmente necessita que você deixe uma pessoa exclusiva para essa tarefa.

Com o ERP recorrente, você terá reunido todas as transações realizadas em apenas um lugar. Todo o seu processo de conciliação vai estar automatizado! No fim das contas, você acaba poupando muito tempo.

Controle da inadimplência

A inadimplência é uma das piores dores de cabeça de todo empreendedor. O ERP recorrente tem um remédio que vai ajudar a aliviar esse problema.

Com ele, você pode acompanhar diariamente quem está te devendo ou atrasou pagamentos. Assim, você consegue criar um régua de cobrança que terá efetividade no trabalho para reduzir esse problema.

Os sistema da Superlógica

A Superlógica é o ERP recorrente lider no mercado. Os sistemas de gestão são voltados para empresas que realizam cobranças recorrentes nos segmentos de agências de comunicação visual, assinaturas e SaaS, condomínios, cursos/escolas e imobiliárias.

 


Compartilhar

Comentários

comentarios